Entrevistas


20 Jul 2018

Advogada comenta sobre cenário do direito digital no Brasil

O tema de proteção e uso de dados na internet é cada vez mais importante para o cenário atual brasileiro. A advogada Fabiani Borges, da EBQ Advogados, conversou com o Alô Alô Bahia sobre o assunto e os impactos da PL 53/18, aprovada recentemente, que pode trazer resultados positivos para a área do direito digital. Olha só!


Alô Alô Bahia: Como surgiu o seu interesse na área de direito digital?

Fabiani Borges: Quando terminei minha primeira especialização, em Processo Civil, escrevi sobre o processo judicial eletrônico, porque a ideia de modernização e agilidade que a tecnologia prometia ao Direito era fascinante. Descobri um MBA em São Paulo, logo depois da conclusão da primeira pós graduação, mas fui atropelada pelo diagnóstico de autismo de meu filho, e acabei passando cinco anos longe da academia. Quando consegui encaminhar Nando, meu filho, o amor pela ideia de desburocratizar e tornar o Direito mais acessível permanecia ali, aceso. Me matriculei no mesmo MBA que pesquisara anos antes e segui. Foi amor à primeira aula, como digo. 

Alô Alô Bahia: Como você avalia o cenário brasileiro com relação à políticas de uso de dados na internet?

FB: Tirando as poucas normas setoriais (como as da área financeira, por exemplo) e alguns poucos dispositivos do Marco Civil da Internet e seu Decreto Regulatório, não temos maiores diretrizes e garantias, e isso era assustador. Passamos longos oito anos debatendo e discutindo sobre o assunto, lutando para que o Congresso levasse adiante os projetos de Lei sobre o tema, e, finalmente, esse ano conseguimos ver aprovado o PL 53/18, que seguiu para sanção presidencial essa semana.
Eu acredito que esse avanço está diretamente ligado com a GDPR (General Data Protection Regulation), a lei de proteção de dados na União Europeia, publicada há dois anos, e que entrou em plena eficácia em maio passado, principalmente pela aplicação da mesma fora dos limites físicos dos países da EU. O Brasil não está imune a norma europeia e ficaria muito aquém nas relações comerciais, pincipalmente diante dos novos modelos de negócios, por não possuir uma legislação especifica sobre o tema. Então realmente esse primeiro passo é o mais importante para asseguramos a privacidade no uso de dados dos cidadãos, bem como disciplinar melhor as relações jurídicas que decorrem desse mundo 4.0 que se apresenta.

Alô Alô Bahia: Diante de diversos problemas que ocorrem com o uso de dados na internet, quais seriam as boas práticas que você indicaria aos usuários para evitar maiores transtornos?

FB: É preciso pensar, inicialmente, que as boas práticas não são de ordem exclusivamente empresarial. Se por um lado, no meu trabalho diário, recomendo aos meus clientes que suas empresas ponham em prática um bom compliance digital, que assegure o emprego das normas de segurança da informação, capacitação dos usuários, emprego de criptografia forte na guarda e transmissão dos dados, separação de bancos de dados comuns e sensíveis, contratos com responsabilização de uso e consentimento expresso, etc, do outro, como aprendiz do tema, reconheço que é preciso sempre pensar em educação digital contínua. O usuário comum de internet não tem hábito de ler os termos de privacidade e uso de sites e aplicações, clica em links desconhecidos, usa senhas fracas, e tem uma série de comportamentos inadequados que podem se tornar grandes dores de cabeça depois.

Alô Alô Bahia: E com relação às empresas e órgãos que lidam com estes dados, qual você acredita que seja o limite de responsabilidade de uso destas?

FB: Essa é a grande preocupação mundial hoje. Durante muito tempo pensou-se que priorizar a privacidade poderia limitar a criatividade e a inventividade do mundo tecnológico, mas viu-se que o mercado extremamente invasivo e sem limite era muito pior. O movimento de preocupação com os dados – e com o uso deles – ganhou força pós denúncias de Edward Snowden, quando, efetivamente, percebeu-se como os grandes players de tecnologia e governos estavam usando a Big Data (a alta capacidade computacional de processar um grande volume de dados) para os mais variados negócios (escusos, inclusive, vide o caso Facebook com a Cambridge Analytica). Enfim, creio que a conscientização do cidadão  - e bons enforcement (boas legislações punitivas) darão o tom dos próximos anos, no sentido de limitar, cada vez mais, a coleta indiscriminada de dados, sob pena de (altas) sanções pecuniárias às empresas. A nossa LGPD, inclusive, seguindo a diretiva europeia, prevê multas de até 50 milhões de reais na responsabilização de empresas que usarem indevidamente ou vazarem dados pessoais.

Alô Alô Bahia: Quais são as principais mudanças e impactos que são esperadas com a aprovação da lei geral de proteção de dados?

FB: Eu particularmente espero maior austeridade no tratamento dos dados pessoais, com a criação de uma cultura de proteção dos mesmos. Será preciso entender a nova dinâmica mundial nesse sentido, assim com também rever as práticas dos modelos de negócio já existentes – digitais ou não, já que a lei se aplica a dados físicos também.

Haverá, ainda, um impacto grande no mercado de trabalho, pois a LGPD prevê que cada empresa tenha um DPO (Data Protection Officer), como na lei europeia, aqui chamado de Encarregado de Proteção de Dados, o que fará que cresça a busca por profissionais especializados em Segurança da Informação, Direito Digital, Engenharia da Comutação e Compliance, pois essas pessoas – em conjunto ou separadamente, a depender do tamanho da empresa – serão fundamentais na aplicação de boas práticas de proteção de dados.


Foto: Divulgação. Siga o insta @sitealoalobahia.
 

27 Jun 2018

Engenheira Isabela Mota conta mais detalhes sobre a Civil Residências

O Grupo Civil inovou e, recentemente, inaugurou uma nova unidade de negócios focada em construção de residências, a Civil Residências. Quem conta mais detalhes é a engenheira Isabela Mota, líder do projeto.


Alô Alô Bahia: O que você acredita que é essencial na hora de planejar a construção de um imóvel?

Isabela Mota: Ao planejar a construção de um imóvel, a família deve ter bem definida a sua narrativa, ou seja, estar bem alinhado entre todos os usuários do equipamento, a forma como querem utilizar, como gostam de viver, quanto pretendem gastar com a construção. Dessa forma, terão sucesso desde o primeiro passo, com o arquiteto transformando a sua narrativa em um projeto arquitetônico com forma e função.
Escolher o construtor requer cautela e análise. Analisar o histórico da construtora, do responsável técnico e as condições em que a obra será realizada, além do custo e qualidade. Qualidade e custo são dois pontos importantes na realização de uma construção, ela abrange mais responsabilidades, como: técnicas adotadas, questões trabalhistas, segurança, saúde e meio ambiente.

O cronograma físico é apenas parte integrante de um planejamento de obra. Ao construtor cabe também prever riscos, inconformidades e os possíveis impactos positivos e negativos da construção do projeto.

Então, de forma bem resumida, devemos iniciar a construção com os projetos executivos e o planejamento bem estudado e definido. Assim o sucesso é garantido!
 
Alô Alô Bahia: Poderia contar mais detalhes sobre a nova unidade do Grupo Civil, a Civil Residências?

IM: A criação da Civil Residências surgiu a partir de dois momentos, um deles foi o pedido de um cliente muito querido, que nos procurou para construir sua casa. A Civil Construtora até então, não atendia a esta demanda e o outro momento foi realmente a visão de oportunidade de mercado, pois a Civil Construtora sempre teve em sua história a inovação, a sustentabilidade, o fino acabamento. Essa filosofia se alinha a um metro quadrado bem trabalhado e personalizado. Assim, a Civil Construtora oferece a Civil Residências, que é uma unidade da Construtora, com uma estrutura compatível ao seu negócio, viabilizando a construção de residências unifamiliares. Hoje conseguimos atender a esse público exigente em residências unifamiliares.
 
Alô Alô Bahia: Quais são os principais benefícios proporcionados pela Civil Residências?

IM: O principal benefício que desejamos proporcionar ao nosso cliente é a Tranquilidade. Oferecemos tranquilidade a nosso cliente, em todos os aspectos da construção de sua casa.

Além disso, sempre priorizando qualidade, economia, sustentabilidade, rigor técnico, buscamos oferecer a nosso cliente, com muita transparência, uma construção diferenciada e com o custo compatível ao porte da obra.
 
Alô Alô Bahia: Quais são os resultados esperados e expectativas do Grupo CIVIL com esta nova unidade?

IM: Na Civil, buscamos sempre superar as expectativas, a “Busca pela perfeição” está em nosso DNA. Queremos construir as residências, aplicando as melhores práticas da engenharia, sem perder a sensibilidade da proposta arquitetônica. A satisfação de nosso cliente em todos os aspectos será a nossa grande conquista.
 

08 Jun 2018

Alô Alô Bahia entrevista Luis Gaban

A entrevista dessa semana é com Luis Henrique Gaban, Diretor de Modernização e Tecnologia da Gestão. Advogado de formação, Gaban está à frente da diretoria, que é responsável por diversos projetos ligados à inovação da gestão na Prefeitura de Salvador.

Alô Alô Bahia – Qual o papel da Diretoria de Modernização e Tecnologia da Gestão?

Luis Gaban – Assumi esse desafio há pouco mais de um ano e nossa diretoria tem, cada vez mais, desenvolvido um papel de articulação extremamente relevante para a Prefeitura ao repensar seus fluxos operacionais, propor projetos inovadores que visam a eficiência do serviço público, a redução dos gastos, a modernização das estruturas organizacionais e a melhor entrega ao cidadão. Nós temos feito um verdadeiro trabalho de transformação da gestão em parceria com todo o time da Prefeitura, sob o olhar atento do Prefeito ACM Neto e com o importante apoio do Secretário de Gestão, Thiago Dantas.

Alô Alô Bahia – Conte-nos sobre o trabalho na Diretoria de Modernização e Tecnologia da Gestão.

LG – É impressionante como a nossa diretoria mantém uma articulação com todos os órgãos, trabalhando conjuntamente em busca das melhores práticas de gestão, objetivando sempre a redução dos gastos, a eficiência e melhor prestação dos serviços públicos, uma das premissas da nossa Secretaria de Gestão (SEMGE). Um dos grandes exemplos dessa articulação é o projeto Pitch Salvador, lançado em março, que está selecionando startups com soluções inovadoras para desafios da gestão pública identificados pelas Secretarias Municipais de Saúde (SMS), Educação (SMED) e Promoção Social e Combate a Pobreza (SEMPS). Inclusive, nos dias 12 e 13 de junho, ocorrerá o evento de apresentação dessas startups lá no Hub Salvador, uma estrutura colaborativa à disposição do ecossistema de inovação, que integra o programa Salvador 360.

Alô Alô Bahia – Qual o papel dessa diretoria no Ecossistema de Inovação?

LG – Nossa atuação frente ao ecossistema de inovação tem sido, além do fomento aos projetos de inovação, promover uma sinergia entre as diversas ações inovadoras dos órgãos ligados à inovação do município, a exemplo da Secretaria da Cidade Sustentável e Inovação (SECIS), Secretaria de Desenvolvimento e Urbanismo (SEDUR) e a Companhia de Governança Eletrônica (COGEL). Destaco ainda o papel de articulação entre os diferentes entes como universidades, startups, empreendedores, agências de fomento e aceleradoras, fortalecendo essas relações com a Prefeitura e contribuindo para um novo cenário de desenvolvimento e inovação. 


Alô Alô Bahia – Como você percebe os avanços tecnológicos e os desafios da atualidade?

LG – Percebo que realmente já estamos vivendo a nova revolução industrial, resultado das diversas tecnologias que vêm surgindo a cada dia e estão à disposição de todos, a exemplo do Cittamobi, aplicativo de celular lançado em 2014 pelo Prefeito ACM Neto e pela Secretaria de Mobilidade (SEMOB), que apresenta os horários e itinerários dos ônibus, tornando mais fácil a vida dos usuários de transporte público. Esse é um dos exemplos que demonstram o quanto é imprescindível que os gestores públicos estejam atentos às transformações tecnológicas e procurem inseri-las em suas rotinas de gestão, de modo a facilitar a vida dos servidores e cidadãos.

Alô Alô Bahia – Depois desse período à frente dessa Diretoria, qual sua visão para o futuro considerando tantos avanços tecnológicos?

LG – Acredito que o futuro será norteado por aqueles que tiverem a capacidade de entender as demandas da sociedade, identificando as tendências e propondo as soluções mais adequadas e inovadoras. É justamente pelo fato de estarmos atentos às transformações tecnológicas e às responsabilidades da gestão pública, que a nossa diretoria assume um papel muito importante nesse processo, funcionando como uma grande articuladora com os órgãos da Prefeitura.  

Foto: Reprodução. Siga o insta @sitealoalobahia 

 

14 Mai 2018

Entrevista: Jeferson Ribeiro

Único baiano presente no line up da edição 2018 do Dragão Fashion Brasil, o estilista Jeferson Ribeiro levou as passarelas a coleção Araçá, inspirada no frescor da capital baiana, onde ousadia e sofisticação são os principais elementos que permeiam um desejo notável de transformação e liberdade.

“É uma coleção pensada para mulheres que batalham por um espaço mais justo e digno na sociedade, ousadas e desafiadoras. Mas também, doces e amorosos. Acreditei na capacidade humana de mover-se e transformar seu espaço para criar dobras no tempo em forma de roupa, como um acesso à nova dimensão, menos ilusória e mais afetiva”, nos disse o estilista. Abaixo, nosso bate-papo!


Conta para nós um pouco da sua experiência no Dragão Fashion Week. Tem um peso diferente estar em uma semanal de moda que foca no autoral?
 
Estou no DFB desde 2013, quando apresentei a Maquinismos. De lá para cá, evolui a minha forma de pensar a moda e o estilo dentro de um enfoque mais autoral. Construindo o meu processo criativo a partir das minhas lembranças, inquietações e questionamentos. Isso ajudou a individualizar a imagem que venho criando.
 
 
Em relação à coleção,  quais os elementos mais característicos da sua identidade e da identidade da Bahia inspirou as novas peças?
 
As festas populares, a força do feminino e as contradições, como o sagrado e profano, existentes em nossa cultura. Tudo isso alicerçado na leveza e doçura que procuro ver a vida. Quando comecei a pensar a coleção, queria algo que fosse inquietante como eu, inspirador como a Bahia e forte como as nossas mulheres .
 
Quanto tempo durou e como foi o processo de desenvolvimento da coleção?
 
Tenho 6 meses pensando a Araça, primeiro veio insight durante uma viagem à Chapada, onde via nos altos das elevações, formações de pedra que limitavam mulheres guerreiras. Depois surgiu a ideia de trabalhar o feminino e o enfrentamento consigo, por meio da inserção de elementos fálicos e a representação gráfica do útero, uma provocação sutil às mulheres, uma volta ao sagrado feminino e ao profano prazer. E por último, a vontade de homenagear grandes mulheres baianas e as nossas festas populares. Quando a nossa cultura sagrada e profano se fundia.
 
Lemos que você já teve convites para estar com seu trabalho em outros países, mas que prefere se fortalecer no Brasil antes de dar esse grande passo. O que tem feito para atingir esse objetivo de expansão da marca?
 
Estou construindo um repertório de imagem da marca e testando produtos. Num próximo momento, com o comercial alicerçado, quero sim expandir para outros países.
 
 
Pode contar para nós algum projeto da Jeferson Ribeiro Brand que está em andamento?
 
Agora estamos finalizando a coleção que irá para a venda. Em breve teremos novidades e muitos novos planos!
 
 
 
 
Fotos: Divulgação. Siga o insta @sitealoalobahia
 

*Alô Alô Bahia esteve em Fortaleza a convite da organização do Dragão Fashion Brasil, que aconteceu entre os dias 09 e 12 de maio, no Terminal Marítimo.
 
 

24 Abr 2018

Entrevista: Style Neuf

A entrevista desta semana é com Juliana Berman e Carol Genioli, que comandam a Style Neuf Consultoria de Imagem. A empresa delas é focada em entender a essência do cliente, guiando suas novas escolhas de forma autêntica, podendo ou não seguir as regras da moda e tendência. Olho nelas!


O que é a Neuf?
A Neuf é uma empresa baiana de Consultoria de Imagem e Estilo, voltada para a mulher, que tem como pilar o Amor Próprio, a Consciência e o Equilíbrio.

Nosso principal objetivo é fazer com que a cliente Neuf se ame mais, tendo consciência de tudo que ela já tem e cuidado com as novas aquisições. O equilíbrio é traduzido na atenção que esta mulher deve ter como seus vários papéis, seja como mãe, esposa, na vida profissional, como filha, enfim, todas as funções que a mulher vive em apenas 24h por dia.


Quem faz parte da Neuf e como surgiu?
A Neuf surgiu para falar com a mulher real, para otimizar a vida dela, fazendo com que o seu tempo seja investido com quem e com o que realmente importa.

Hoje, fazem parte da Neuf, eu, Juliana Berman, que faço todo o serviço de Consultoria de Imagem e Estilo. Meu papel é trabalhar com a versatilidade e sustentabilidade que podemos dar as (muitas) roupas que já temos no guarda roupa, faço um “detox” com tudo que já não cabe mais para conseguir alcançar a imagem pretendida pela cliente, fotografo cada look aprovado por nós duas e tudo isso vira um Closet Virtual, onde a cliente escolhe o look na tela do celular. É um trabalho em conjunto, onde fazemos tudo a quatro mãos, com muito respeito e empatia.

E também, Carol Genioli, minha sócia, que mora em Nova York e traz dicas de moda, conteúdo, tendência e street style. 
 
Onde a Neuf atua?

Atualmente a Neuf atende as clientes de São Paulo, cidade que moro, e Salvador, onde fico pelo menos uma semana por mês, para atender a todas as clientes de maneira presencial. Começaremos a atuar também em NY, com o serviço de Personal Shopper (totalmente em português), que ajuda nas compras com consciência, uma vez que este serviço requer a minha Consultoria para que a cliente já viaje com tudo listado e organizado, evitando excessos e perda de tempo. Lá em NY, a Carol auxilia pessoalmente a cliente, além de dar dicas exclusivas da Big Apple para as clientes Neuf.

Para a Consultoria Online, não há limitação geográfica, basta uma boa internet que conseguimos seguir as etapas, construindo o Guia de Estilo da cliente, sempre adequando a sua rotina, tipo de corpo e clima. A maioria das nossas clientes são brasileiras que moram em Londres, Madri e Alemanha, que conheceram a Neuf na internet, gostaram do resultado e indicaram para amigas.
 
Qual o diferencial da Neuf?

O diferencial da Neuf é que conseguimos interpretar as emoções e criar uma relação de confiança com nossas clientes, onde qualquer questão pode ser compartilhada, pois uma vez cliente Neuf, para sempre amigas. Além disso, como disse anteriormente, temos dicas exclusivas de NY, sejam elas gastronômicas, culturais ou de moda (considerando, inclusive, os badalados brechós).
 
Como é possível conhecer mais a Neuf e contratar os serviços?

Para conhecer a Neuf pode ser através do site www.styleneuf.com ou Instagram @styleneuf.
E para saber valores e contratar a Neuf, pode entrar em contato comigo ou com Carol através dos e-mails: juliana@styleneuf.com ou carolina@styleneuf.com.
Direção de fotografia: Pancake Fotografia.
Inserts e edição: Erika Fujyama.
Siga o insta @sitealoalobahia.

 

13 Abr 2018

Influenciadora digital vem ganhando destaque em Salvador. Quem é? Vem ver!

Com mais de oito mil seguidores apenas no Instagram, onde compartilha dicas e o seu cotidiano, Lia Mônica é a entrevistada desta semana do Alô Alô Bahia. Abaixo, ela fala sobre inspirações e mercado digital em Salvador, além de diversos outros assuntos. Confere!

Alô Alô Bahia - Lia, quando e como você percebeu que era uma influenciadora digital?

Lia Mônica - Tudo começou quando eu era criança e o meu fascínio por moda ocorreu de forma bem natural! No passar dos anos notei que as minhas dicas sobre o mundo da moda eram bastante valorizadas pelas minhas amigas que, muitas vezes, não sabiam o que vestir ou o que comprar. Sempre gostei de investir na minha aparência e no estilo de vida saudável.

No início, a minha família tinha muito receio da minha exposição como influenciadora digital, mas acabaram se convencendo que eu tinha um diferencial que não poderia ser desperdiçado. Passei a ouvir de amigas e conhecidas que eu deveria fazer algo para que mais pessoas pudessem conhecer as minhas dicas e conceitos relacionados à beleza. Durante a minha licença maternidade me surgiu uma ideia de ser uma digital influencer sobre moda e, consequentemente, com foco no bem-estar das mulheres.

Alô Alô Bahia - Quais foram os primeiros passos que você tomou para formalizar a nova profissão?

LM - Quando percebi que pretendia me profissionalizar, procurei criteriosamente uma assessoria especializada para cuidar da minha imagem como influenciadora digital, para que fosse realizado de forma prudente e responsável. Deste modo, o primeiro passo que tomei para formalizar a nova profissão foi focar em determinadas questões e conceitos pertinentes ao mundo da moda e qualidade de vida no intuito de potencializar a beleza feminina, no Brasil ou no exterior, independente do horário e das circunstâncias – faça chuva, faça sol. Como dizia Coco Chanel: “... é melhor estar tão bonita quanto for possível para o destino.”.

Alô Alô Bahia -   Como é o seu dia-a-dia? Compartilhe com o Alô Alô Bahia sua rotina.

LM - A minha rotina é bem agitada! No mundo de hoje ser casada e com três filhos requer muita paciência, flexibilidade e dedicação! Nada melhor que começar o dia com um café da manhã saudável e delicioso. Ser mulher e uma servidora publica federal é um desafio e tanto! Além de fazer exercícios físicos diariamente, cuidar da casa e da família, eu sempre encontro tempo para ficar “antenada” nas tendências da moda.

Alô Alô Bahia - Quais são suas maiores inspirações? Qual o principal objetivo do seu trabalho?

LM - Inspiro-me em algumas influenciadoras digitais nacionais e internacionais, entretanto procuro instintivamente criar um estilo próprio – fundado no meu conhecimento - porque nunca tive receio de inovar de forma prática com elegância, sensualidade e bom gosto. O meu principal objetivo é conquistar de forma exponencial seguidores que curtam meu estilo de vida e inspirá-los através da moda no seu bem-estar.

Alô Alô Bahia - Como você avalia o mercado digital em Salvador?

LM - Atualmente, o mercado digital em Salvador vem crescendo expressivamente porque a internet vem possibilitando as pessoas cada vez mais despertarem interesses em assuntos diversificados. Portanto, o mercado digital está se tornando a principal mídia de disseminação das informações, embora a qualidade do conteúdo seja um fator determinante para o sucesso. Tudo acontece muito rápido no mundo e em Salvador, não é diferente!

Alô Alô Bahia - Quais as principais dificuldades que você vem encontrando?

LM - Costumo encarar dificuldades como desafios, jamais como obstáculos! Diante de um mercado muito competitivo, muitas pessoas desconhecem o que um digital influencer faz e por vezes não dão o valor devido. No entanto, acredito que isso seja uma questão de tempo e que essa ocupação será uma das principais profissões do futuro.

Alô Alô Bahia - Como faz pra administrar o tempo com as suas outras funções de mãe e profissional? Fale um pouco sobre a sua família e sua outra profissão, e como eles lidam com o ofício de influenciador digital.

LM - Minha família sempre acreditou que para ser uma profissional respeitada eu teria que estudar alguma profissão tradicional. Sou bacharela em direito e para conseguir me tornar uma servidora pública federal tive que estudar muito sem perder o foco. No entanto, sempre me faltava algo para me completar profissional e pessoalmente. Foi aí que consegui conciliar a área jurídica com a de digital influencer, uma complementa a outra. Para administrar todas minhas atribuições, conto com ajuda de bons profissionais e, o mais importante, do apoio incondicional do meu marido.

Alô Alô Bahia - O que faz no tempo livre? Conte-nos sobre seus hobbies favoritos.

LM - No meu tempo livre o que eu mais amo fazer é ficar em casa com a minha família, assistir séries, filmes e viajar.

Alô Alô Bahia - Qual influenciadora digital te inspira?

LM - Nacional: Thassia Naves; internacional: Olivia Palermo.

Alô Alô Bahia - Que tipos de empresas te procuram? Como é a triagem dos serviços/produtos que anuncia?

LM - Os tipos de empresas que me procuram são bastante variados. Vai desde lava-jato de veículos às lojas de roupas. Minha assessoria leva em consideração alguns requisitos na triagem de serviços/produtos que anuncio para não enfraquecer, e sim manter e melhorar a qualidade da minha imagem como digital influencer - qual proponho através dos conceitos e conhecimento que tenho sobre moda.

Alô Alô Bahia - Como você se imagina daqui a 10 anos? Onde quer estar?

LM - Quero estar com a minha família, fazendo exatamente o que faço hoje e, de preferência, com mais visibilidade e influenciando um maior número de pessoas.

Alô Alô Bahia - Que dica você daria para quem que trabalhar com mídias digitais?

LM - Primeiramente, essa ocupação não deve ser enxergada como um mero hobby. Para ser uma digital influencer é necessário ter muita dedicação, não se preocupar com o retorno financeiro - porque não é imediato, e ter muita desenvoltura. Dificilmente uma pessoa tímida se enquadrara nesse perfil.

BATE BOLA:

                      Um esporte: academia
                      Uma grife: Chanel e Balmain
                      Uma cor: Branco
                      Um(a) artista: Eddie Redmayane
                      Um livro: Cem anos de solidão, de Gabriel Garcia Márquez
                      Uma peça coringa: terceira peça
                      Uma bebida: vinho tinto
                      Uma viagem inesquecível: Todas que fiz com a minha família
                      Um estilo de decoração: clássico
                      O que não falta na sua bolsa? Celular não conta porque já fica na mão. Então, óculos e lip balm.

Foto: William Medeiros. Siga o insta @sitealoalobahia.

 

10 Abr 2018

Alô Alô Bahia entrevista jornalista Roberto Gazzi

No mês em que é comemorado o Dia do Jornalista, o Alô Alô Bahia conversou com o jornalista Roberto Gazzi, que assumiu a diretoria executiva do Jornal Correio* em 2016, sobre os desafios da área, experiências e responsabilidades. Olha só!


Alô Alô Bahia: O que significa o jornalismo pra você? Por que escolheu essa área como profissão?

Roberto Gazzi: O jornalismo para mim era e continua sendo um ofício em que a busca da informação correta e relevante ajuda a melhorar o mundo. Foi esta convicção, mais a imensa vontade de tentar conhecer o mais possível, o que me levou para a profissão.
 
Alô Alô Bahia: Qual foi a experiência profissional mais desafiadora que já viveu? E qual você acredita que é o maior desafio do jornalismo como um todo atualmente?

RG: Acho que mais do que uma experiência em si - e houve várias, até com ameaça à minha integridade -, foi tentar preservar os valores do ofício num tempo de velozes transformações para a profissão e o mundo, por conta da revolução digital. O maior desafio do jornalismo atualmente é conseguir mostrar à sociedade que a informação de qualidade e credibilidade tem alto custo e deve ser valorizada (e até paga) em um mundo em que as falsas notícias são cada vez mais abundantes e perigosas para a manutenção da democracia.
 
Alô Alô Bahia: Qual profissional do jornalismo te inspira?

RG: Foram tantos que não nomearia nenhum. Mas prezo os éticos, os que enxergam além do que parece óbvio e os persistentes.
 
Alô Alô Bahia: Em tempos de internet, polarização, fake news, como você enxerga a responsabilidade de dirigir um dos veículos de comunicação de maior circulação do Norte e Nordeste?

RG: Um editor na minha posição em qualquer redação do mundo deve estar preocupado em manter um grupo de profissionais que preservem os ideais do ofício jornalístico numa situação econômica muito adversa, causada pela disruptura do tradicional modelo de negócio dos jornais. A principal luta é preservar as bases do ofício, seja em que condições forem, para preservar o principal valor de uma marca jornalística: sua credibilidade.
 
Alô Alô Bahia: Qual o grande aprendizado que você já teve trabalhando nessa área e que gostaria de transmitir aos focas em formação agora?

RG: Continuem sonhando e acreditando que com seu trabalho será possível construir um mundo melhor.
 

04 Abr 2018

Alô Alô Bahia entrevista arquiteto Caio Bandeira

O arquiteto, urbanista e designer baiano Caio Bandeira, sócio-fundador do escritório Architects+Co, conversou com o Alô Alô Bahia e falou sobre arquitetura, novos projetos e tendências na área. Confere só!


Alô Alô Bahia: O que a arquitetura significa pra você?

Caio Bandeira: Arquitetura é a concretização de sonhos no espaço e “tempo”.
 
Alô Alô Bahia: O que podemos esperar de novidades do seu trabalho? Quais são os atuais e próximos projetos?

Caio Bandeira: Nos próximos cinco anos o escritório vai surpreender em muitas áreas do urbanismo, arquitetura e design. Fizemos um concurso nacional de urbanismo sustentável e ficamos em terceiro lugar, com uma banca composta de grandes nomes internacionais e da Bahia, competindo com mais de 30 escritórios de todo o Brasil. Atualmente, estamos atendendo o mercado de casas de praia e casas de campo de forma mais marcante, mas estamos lançando alguns prédios, escolas, lojas comerciais, etc, de forma lenta devido às aprovações nos órgãos legais.

Nosso grande diferencial no urbanismo e na arquitetura é o conhecimento e a paixão pelo design de interiores que abrange o design de moveis e a decoração “conceitual”. Estamos desenvolvendo alguns apartamentos conceituais, que serão publicados ainda esse ano, acredito muito no conceito de “gallery house”, onde a obra de arte é estudada em simbiose com os espaços da casa.
 
Alô Alô Bahia: Tem algum sonho profissional que você ainda não realizou?

Caio Bandeira: O sonho profissional é poder representar a Bahia no mundo com muita qualidade e reconhecimento. O baiano tem uma magia que é inexplicável, talvez a sua relação de amor com a natureza leve muita arte pro seu trabalho.
 
Alô Alô Bahia: O que você enxerga como tendência na área da arquitetura atualmente? O que a Bahia e São Paulo têm feito de bacana nessa área?

Caio Bandeira: Vejo que o “design industrial” é a tendência na arquitetura, uso de elementos compositivos que são arrojados.  A casa pode ter 2 aguas de telhado igual a casa de nossos tataravós, mas ela vai “flutuar do chão” e sua luz vai atrair o olho humano igual uma “estrela” que enfeitiça.

Com isso, São Paulo deu espaço para grandes designers internacionais e a Bahia também, tanto Salvador como Trancoso. Assim, os profissionais brasileiros tiveram a oportunidade de mostrar que são tão bons ou melhores do que qualquer outro. Tanto que grandes escritórios de SP e da Bahia estão com trabalhos internacionais nesse momento. Antes, eram trabalhos pontuais de arquitetos como Oscar N. e Paulo Mendes da Rocha, por exemplo. Agora, popularizamos, o mundo está com a arquitetura globalizada.
 

22 Mar 2018

Steve Saback comenta sobre a festa Barra Santa

Nos próximos dias 29 de março a 01 de abril, a Vem Entretenimento promoverá o Barra Santa, que irá ferver Barra Grande, no sul da Bahia, na Semana Santa. Quem estará no comando do agito da festa são Wesley Safadão, Vintage Culture e Baile da Favorita. Steve Saback, um dos sócios da Vem, conversou com o Alô Alô Bahia sobre mais detalhes do trabalho.
 
Alô Alô Bahia: O que o público pode esperar do Barra Santa? Quais são as expectativas?

Steve Saback: Muita gente bonita de todos os cantos do país – São Paulo, Goiânia, Brasília, Vitória, uma estrutura incrível e os maiores artistas do momento, cada um em seu ritmo.

Alô Alô Bahia: Alguma novidade ou projeto novo da VEM que possa nos adiantar?

SS: Por enquanto, só pensamos no Barra Santa. Estamos cuidando de cada detalhe com todo carinho e focados em surpreender novamente o nosso público. Mas em maio teremos a nossa tradicional black party – a Vem de Preto.

Alõ Alô Bahia: De onde vêm as principais inspirações para inovar nos projetos da VEM?

SS: Viajamos muito e, a cada canto que passamos, vamos trazendo novos elementos para construir novos modelos e novas ideias. De dois anos pra cá, estivemos presentes em mais de 40 festas das mais famosas do país, fora o verão europeu na Espanha e na Grécia.
 

14 Mar 2018

Conheça Fabio Góis, atual Gerente de Marketing do Correio*

O jornalista Fábio Góis, atual Gerente de Marketing, Projetos e Mídias Digitais do Correio*, conversou com o Alô Alô Bahia sobre os desafios profissionais, marketing e novos projetos. Confere só!

Alô Alô Bahia - O que te motivou a seguir essa área profissional?

Fábio Gois - Sempre valorizei a força e importância da comunicação na sociedade. Acredito no papel transformador do bom jornalismo e na capacidade que a comunicação tem de criar conexões. Esses são alguns dos atributos que me impulsionaram a estudar e seguir estudando esta área profissional, que vive em constantes modificações.

Alô Alô Bahia - Atualmente, qual você acredita que é o grande desafio para quem deseja trabalhar na área de mídias digitais e marketing?

Fábio Gois - O grande desafio é se manter atento a rápida velocidade com que surgem novas tecnologias e a dinâmica do comportamentos dos usuários no ambiente digital. O profissional de marketing hoje precisa saber se reinventar, promover a inovação para seus pares, líderes e liderados, e atuar de forma rápida e estratégica. Constantemente surgem novas ferramentas digitais, mudanças nas redes sociais, evolução no hábito de consumo, além do todo o conhecimento já adquirido nos meios de comunicação tradicionais. Temos que unir os conhecimentos de produto, mercado, consumidor, somados às estratégias ommichannel. Some a isso, o aprofundamento em análises de dados, conhecimento de programação e tecnologia. O marketing está em evolução constante.

Alô Alô Bahia - Qual você acredita que é o futuro da tecnologia e mídias digitais nas organizações voltadas para a área de informação?

Fábio Gois - As organizações da área de informação dependem das áreas de tecnologias. Diversas empresas de tecnologia também precisam dos produtores de conteúdo. É uma união de expertises. Então, para o futuro de quem produz conteúdo torna-se fundamental ter no seu time especialistas da área de TI, que desenvolvam soluções de produção, ampliando os canais de contato com seus leitores, seja para disseminar conteúdo como para relacionamento e fidelização de seus clientes. Estamos no momento da inteligência artificial, bots, realidade aumentada, personalização, dados interativos e muito mais.  Esperamos mais iniciativas que unam as áreas de jornalismo, marketing e tecnologia. Grandes investidores globais estão considerando aquisições estratégicas para aumentar o impacto sobre os consumidores e também otimizar tecnologias de dados, análise e marketing digital. O futuro prevê ainda muitas inovações e mudanças em termos de investimentos em publicidade, consumo online, investimentos do varejo, parcerias de dados, e novas regulamentações.

Alô Alô Bahia - Qual você acredita que é o grande desafio quando se trata de rentabilização da notícia? Como você acredita que a gestão de relacionamento com o leitor pode potencializar isso?

Fábio Gois - O grande desafio é evidenciar ainda mais o valor da notícia. Se pensarmos no mercado de Salvador e Bahia, creio que seja a mudança no hábito de consumo. É reunir atributos e fazer com que o leitor entenda a importância da informação, sua relevância e credibilidade e que isso ative o seu desejo e consumo.

Fazer um bom jornalismo, com conteúdo de qualidade, que retrate fatos que importam, com análise, investigação e que faça a diferença na sociedade tem um valor imensurável diante dos benefícios que são gerados. Todos nós podemos reconhecer isso, principalmente quando convivemos com fakes news, filtro bolha e sites de conteúdos rasos.

Quanto a gestão de relacionamento, essa é a melhor maneira de se gerar confiança e vínculo com os leitores. O nosso foco deve estar no consumidor e não só no produto. Os veículos, além de produzir jornalismo com qualidade, tem o desafio de ativar e cativar seus leitores. Todos nós recebemos muitas informações ao longo do dia, e cabe ao veículo se destacar nesse universo. Para tanto, os leitores querem receber conteúdos personalizados, experiências que contribuam com seu dia a dia, benefícios e se sentir valorizados. Portanto, o conteúdo precisa estar pensado e produzido para cada plataforma, seja ela impressa, TV, rádio, desktop, celular, push, newsletter, relógio, sempre no formato certo e no momento certo. E também sendo um facilitador, permitindo que seus leitores tenham acessos a ofertas e serviços diferenciados, muitas vezes através dos clubes de vantagens voltados a assinantes. O foco dos veículos é crescer o número de seus leitores leais.

Alô Alô Bahia - Algum projeto novo pro Correio* que possa nos adiantar?

Fábio Gois - O Jornal Correio está muito atento a todos esses movimentos. Por isso, buscamos sair na frente com produtos e projetos inovadores, inclusive que geram diversos prêmios nacionais e internacionais para o Correio. Esse é um resultado que colhemos porque sempre estamos pensando em entregar a melhor performance para nossos leitores e para os parceiros que anunciam conosco. Foi assim que reformulamos todo o site do Correio, com novas seções e um layout orientado ao hábito de navegação dos leitores. Lançamos no início de 2018 o Estúdio Correio, que é um departamento formado com profissionais de diversas áreas da comunicação para produzir marketing de conteúdo, projetos especiais e soluções sob medida para o mercado anunciante. Além também de fortalecer nosso Clube Correio com mais parceiros, serviços digitais e ofertas de promoções e vantagens exclusivas. Também seguimos com constantes evoluções nas plataformas impressa e digital, sempre com conteúdos que só se vê no Correio, coberturas diferenciadas dos principais fatos da cidade e do estado, além de novos sistemas de atendimento, relacionamento com os leitores, conteúdos e uma plataforma orientada ao mercado varejista, que lançaremos em breve no site do Correio. 
 
Foto: Divulgação. Siga o insta @sitealoalobahia.