Miss Cady rumo ao estrelato

Difícil fazer uma entrevista à altura desta beleza toda, mas demos os nossos pulinhos e conseguimos deixar os encantos de Miss Cady longe dos holofotes para evidenciar, com precisão, quais são as características mais eminentes em sua personalidade. O Resultado foi impressionante com o trabalho liderando o ranking e enquanto ela fala agente baba. Sugestão: Aprecie sem moderação.

 

Alô Alô Bahia – Quando decidiu que seria DJ?

Miss Cady – A música sempre ocupou a maior parte do tempo em minha vida. Acabei absorvendo muitas referências musicais com o meu pai ao longo de minha criação e optar por uma carreira musical foi algo espontâneo e natural. Comecei brincando de DJ e quando percebi já estava fora do Brasil fazendo shows. Posso dizer que em meados de 2004 foi quando me profissionalizei.

Alô Alô Bahia – Você já teve inúmeros endereços diferentes no mundo. E agora, onde está morando?

Miss Cady – Para focar em produzir minhas próprias musicas e para ter uma projeção maior no Brasil, agora estou maior parte do tempo em São Paulo.

Alô Alô Bahia – No inicio, sua família apoiou a sua escolha profissional ou eles acreditavam que era algo momentâneo e fugaz?

Miss Cady – No começo teve uma insegurança da parte deles pelo fato de ser mulher, de viajar pelo mundo sozinha e por também não terem conhecimento e referência naquela época de grandes profissionais que viviam da carreira de DJ. Mas, graças a Deus, sempre estive muito segura e certa da minha escolha profissional, e ao decorrer da minha vida sempre tive pessoas cruzando o meu caminho e me auxiliando de alguma forma.

Alô Alô Bahia – Existe um novo consumidor de música eletrônica no Brasil. Como você o descreveria?

Miss Cady – A música eletrônica é de fato uma tendência mundial, por conta da própria evolução que proporcionou aos músicos incrementar suas composições com novos sons e timbres, a facilidade da própria internet disponibilizar aos seus consumidores obter em apenas um click o que é tendência do outro lado do globo. Cresce cada vez mais o consumidor da música eletrônica que ao meu ver hoje em dia também é considerada pop, já que caiu no gosto popular. Este consumidor não necessariamente tem um total conhecimento do meio eletrônico e das suas vertentes, mas é um dos maiores consumidores deste estilo musical que podemos classificar como eletrônico/pop.

Alô Alô Bahia – É muito assediada enquanto comanda as carrapetas? Qual o público mais assanhadinho, o brasileiro ou o americano?

Miss Cady – São culturas bem diferentes, os americanos são um pouco mais reservados, mais tímidos, já os brasileiros...

Alô Alô Bahia – Por ser loura, bonita e produzida, já passou por uma situação mais constrangedora?

Miss Cady – Sempre estou acompanhada do meu empresário Inácio, que por ser homem já intimida um pouco, entretanto quando alguma situação indica uma tendência não tão séria eu rapidamente tomo pulso da situação mantendo minha postura profissional.

Alô Alô Bahia – Quais são as lembranças da Bahia que sempre estão presentes em seu coração?

Miss Cady – São tantas, afinal de contas passei a maior parte da minha vida na Bahia. Passear pela orla da Barra, olhar o farol de cima do Cristo, me refrescar no porto da Barra, tomar sol no Yacht, são lembranças que me recarregam e que estão sempre comigo.

Alô Alô Bahia – Como está a sua agenda para a próxima viagem a Salvador e quais as expectativas com a sua apresentação no Festival de Verão?

Miss Cady – Bastante corrida em função das entrevistas, apresentações e gravação de um vídeo clip. As expectativas para o Festival de Verão são as melhores possíveis. É uma honra estar pela primeira vez fazendo parte da tenda eletrônica... e tenho o prazer de após anos divulgando Salvador em vários lugares do mundo, retornar para me apresentar na minha cidade natal em um dos maiores eventos.

Alô Alô Bahia – As mulheres vibram com o seu estilo. Quem escolhe cada peça e como essa seleção é elaborada?

Miss Cady – Eu que escolho cada tecido e crio cada modelo, pego algumas tendências como referências, acrescento alguns detalhes... modifico outros... Por viajar bastante tenho a possibilidade de comprar tecidos diferentes de vários lugares  e também de pegar as tendências com uma certa antecedência.

Alô Alô Bahia – Sua vida pessoal é sempre muito reservada e mantida longe dos holofotes, mas, abrindo uma exceção, como anda o seu coração?

Miss Cady – Existe o momento certo para cada coisa na vida e este momento é de foco total na minha carreira profissional...Estou em paz, feliz e sendo bastante produtiva e minha mente e meu coração estão cheios de música!!!

Alô Alô Bahia – Na hora que está trabalhando, qual o maior perrengue que pode acontecer?

Miss Cady – Alguma pane elétrica nos equipamento impedindo a minha apresentação, porém sempre faço um double check nos aparelhos para minimizar essa possibilidade.

Alô Alô Bahia – Aproveitando o ensejo, quais são as cinco músicas mais fervidas para carregar nesta temporada no ipod?

Miss Cady – “Losing Control” Miss Cady and Under Construction feat Ivete Sangalo & Nick London; “Levels” Avicii; “Give me everything” Pit Bull, Afrajock feat Neyo & Nayer;  “ Freak it out” Laventina  e “ Drink it up” Miss Cady & Sam Martin.

 

Foto: Reprodução.

 

NOTAS RECENTES