😷

infectados

😔

mortes

🙂

recuperados

22 Aug 2013

Entrevista Larissa Bicalho: “Uma amiga querida já me perguntou se eu era muito sonsa...”

Entrevista Larissa Bicalho: “Uma amiga querida já me perguntou se eu era muito sonsa...”

Como mulheres com poder fogem à regra, as exceções costumam intrigar. Sejam elas mulheres de mais de dois mil anos, cobertas de ouro e preciosidades, ou sejam elas fortes batalhadoras, que travam uma guerra diária para sobreviver ao mercado capitalista, de concorrência acirrada e egos inflados...

Larissa Bicalho é um bom exemplo disso. Corajosa e destemida, é capaz de enfrentar as situações mais adversas sem sair de cima de suas tamancas e sem perder a elegância, uma de suas maiores virtudes...

Larissa chegou em Salvador e foi logo intrigando. Abriu uma loja da Artefacto, na Tancredo Neves, e organizou as maiores festas que por aqui já teve. Sempre bem-vestida, numa linha full-glam, nunca teve medo da opinião alheia e dos olhares curiosos...

Fez e continua fazendo muito para a Bahia. É uma obstinada. Atualmente, pilota a LB Home, no Jardim Brasil, onde comanda um séquito de funcionários. Todos elegantemente fardados, verdade seja dita...

Lá, ela recebe, desde o maior cliente até o mais simples, da mesma forma: cobertos de mimos e de atenções. E mesmo com a loja sufocada de uma demanda crescente, Larissa continua chacoalhando o imaginário alheio. O motivo? Sucesso demais nos olhos dos outros é refresco. Confere:

Alô Alô Bahia – Como foi sua infância?

Larissa Bicalho – Muito tranquila, típica do interior. Todos os finais de semana na fazenda e veraneio em Camboriú. Como filha única sempre fui muito grudada a meus avós. Tenho um sentimento especial por pessoas mais velhas.

Alô Alô Bahia – Na adolescência, quais eram as suas aspirações?

Larissa Bicalho - Queria conhecer o mundo... Adorava viajar, comecei muito cedo. Adorava viajar sozinha, morei várias vezes sozinha e fiz muitos amigos de diversos lugares... Este foi o melhor da minha adolescência... Acho que foi o melhor investimento que minha mãe fez.

Alô Alô Bahia – Quem lhe instruiu, servindo de referencial, para ter se transformando numa grande profissional?

Larissa Bicalho – Com certeza meu avô. Ele foi o exemplo do trabalho, da força do trabalho que é onde está a segurança para novos desafios.

Alô Alô Bahia – Quem a seu ver poderia ser a grande dama da sociedade baiana?

Larissa Bicalho – Várias primeiras-damas. A da educação e gentileza Cristina Calumby, a de receber Teca Martins, a do companheirismo Fátima Mendonça e Rosário Magalhães, a nossa super e primeira dama. Guerreira, é um exemplo de força para todas as famílias.

Alô Alô Bahia – O que uma mulher bonita e rica precisa saber?

Larissa Bicalho – Não só a mulher, mas todas as pessoas precisam saber que nada substitui a educação e humildade.

Alô Alô Bahia – Para quem não tira o chapéu?

Larissa Bicalho – A fofoca... Como as pessoas podem desperdiçar tanto tempo e energia. Para mim só os muitos infelizes e mal resolvidos perdem tempo com a vida dos outros. Não tenho a menor paciência. Geralmente nem sei de quem e do que estão falando. Uma amiga querida já me perguntou se eu era muito sonsa ou morava em outro planeta.

Alô Alô Bahia – Qual foi a recepção mais elegante que participou em Salvador e fora da Bahia?

Larissa Bicalho – Acho que o casamento da filha de Fernando Frank em Salvador foi muito elegante. Fora, um casamento no Rio para 30 pessoas foi inesquecível.

Alô Alô Bahia – Qual sua religião?

Larissa Bicalho – Gente, sou fã de Mãe Carmem, amo ela demais!!! Faço evangelho toda a semana e estou apaixonada pelo Medrado. Não posso esquecer o quanto admiro o Padre Luiz. Sou devota de Nossa Senhora de Fátima e a vinda do Papa ao Brasil está mexendo com o coração de todos. Ou seja, acredito na força do bem, da fé e na lei do retorno. Minha equipe ri muito quando falo que peço a Deus para ser sempre justa porque tenho medo do Umbral. Quando converso com Mãe Carmem ela morre de rir e diz que o importante é ter fé.

Alô Alô Bahia – Suas filhas são as moças mais instruídas e afiladas que há na sociedade local. Como as educa?

Larissa Bicalho – São mesmo. Agradeço sempre. Quando me perguntaram, pela primeira vez, como eduquei minhas filhas, pensei: “ Meu Deus, deu certo”. Sempre fui muito carinhosa, mas também sempre fui muito dura. Sempre fui mãe mesmo, e não amiguinha. Elas sempre comentam: “Mãe, sua fama corre léguas!!!”. Nunca admiti falta de respeito e nunca fiz a lição de casa com minhas filhas, pois sempre achei que as lições são delas. Trabalho muito, às vezes fico o dia sem as ver. Entretanto, final de família sempre foi e é de família... Quando não estava trabalhando sempre estava com elas.

Alô Alô Bahia – Onde as baianas pecam no receber em casa?

Larissa Bicalho – Não acho que pecam...

Alô Alô Bahia – Qual foi sua maior extravagância?

Larissa Bicalho – Foi neste último domingo. Quando vou almoçar no Rodeio é um espetáculo... Extravagância total!

Alô Alô Bahia – Em suas requintadas festas, qual foi a maior garfe que presenciou?

Larissa Bicalho – Fico tão feliz com a presença das pessoas que nem percebo.

Alô Alô Bahia – A imprensa lhe adora e lhe endeusa. Quando surgiu essa aureola de mitificação ao seu redor?

Larissa Bicalho – É mesmo?Acho que é porque sou muito simples e procuro ser atenciosa com as pessoas.

Alô Alô Bahia – Onde se come bem na capital baiana?

Larissa Bicalho – Soho, Amado, Shiro, Paraíso Tropical...

Alô Alô Bahia – Qual a frase que mais lhe marcou?

Larissa Bicalho- Ninguém é digno de inveja!Certeza.

Foto: Reprodução.