Sergio Marone declara: “A Bahia é meu lugar de reenergização”; leia entrevista

José Mion é jornalista, assessor de imprensa e escreve para o Alô Alô Bahia.

Após alguns dias entre Salvador e Morro de São Paulo, no final de fevereiro, numa rotina mista de descanso e trabalho, o ator e empresário Sergio Marone conversou com exclusividade com o Alô Alô Bahia. Na pauta, claro, a relação com a Bahia, novos projetos no cinema e um pouco sobre sua conexão com ações sociais e ambientais, das quais nasceu a marca própria Tukano, de produtos essenciais e sustentáveis.

EM9scu.md.jpg
- Sergio, nos conta um pouco da sua relação com a Bahia e o que costuma te trazer aqui...

Nos últimos anos, tenho ido pelo menos uma vez no ano à Bahia. Tem sido, neste período de pandemia, meu lugar de renovação, de reenergização, sabe? E tenho alguns amigos aí...

- Quando vem a Salvador, tem algum lugar específico que goste de ir e que não pode deixar de visitar?

Eu adoro o Carmo e adoro o Mercado Modelo! São dois lugares por onde sempre passo. Adoro ver o pôr do sol do Cafelier e adoro ver as coisas típicas e regionais que são vendidas no Mercado Modelo.

- Sobre a Tukano, lançada no final de 2021, de onde veio a ideia?

A Tukano surgiu porque acredito que estamos aqui para cuidar um do outro e do planeta. Não dá para continuarmos consumindo como fizemos até hoje, sem se preocupar com a origem dos produtos, com a boa remuneração da mão de obra... a Tukano surgiu para gerar uma mudança nessa forma de consumo irresponsável. Com o surgimento de empresas assim, a gente pressiona os grandes players do mercado a se adequarem, a serem mais responsáveis social e ambientalmente.

- Como começou sua relação com temas relacionados à sustentabilidade?

Sempre estive muito conectado com esse tema, acho que nada é mais importante do que isso, discutir essa crise climática que estamos vivendo e a responsabilidade do homem nela. Sempre fui muito ligado a essas causas sociais e ambientais. Em 2011, criei o movimento Gota D'Água, que foi contra a usina hidrelétrica de Belo Monte, que estava sendo construída no Rio Xingu. Levantamos 1 milhão de assinaturas em uma semana, com o apoio de vários colegas de trabalho, como Dira Paes, Murilo Benício, Paulo Gustavo...

- E nas telas, algum projeto novo à vista?

Espero, ainda esse ano, estrear Jesus Kid, meu primeiro filme como produtor, assim que a gente conseguir voltar a ter uma frequência mais ou menos normal nas salas de cinema.

Confira postagem no Instagram: 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Fotos: @iude. Siga o insta @sitealoalobahia

NOTAS RECENTES