😷

infectados

😔

mortes

🙂

recuperados

18 May 2020

Alô Alô Bahia entrevista Silvia Braz

Alô Alô Bahia entrevista Silvia Braz Em quarentena há mais de dois meses com a família, a influencer Silvia Braz tem promovido lives de alto nível com convidados renomados que têm movimentado este período de distanciamento social. Nesta semana, por exemplo, ela recebe o chef Erick Jacquin para um bate-papo especial. Em conversa com o Alô Alô Bahia, Silvia falou sobre como tem sido a sua quarentena, saúde mental, perspectivas para a área da comunicação, do bazar beneficente que está promovendo e muito mais. Confira:


Alô Alô Bahia - Como tem sido a sua quarentena e quais têm sido os principais desafios?

Sílvia Braz - Já estou há 65 dias de quarentena com minha família. Não posso reclamar por nenhum minuto: tenho casa, estamos unidos, com saúde e tenho aproveitado esse tempo para estar ainda mais ao lado das minhas filhas, pois sempre viajei muito a trabalho. Na situação atual do nosso país, seria injusto reclamar de estar em casa com tédio enquanto outras pessoas estão em casa sem ter o que comer.

Alô Alô Bahia - Quais sugestões você daria para que as pessoas cuidem da saúde mental neste momento de isolamento social?

SB - Todos os dias levantar da cama, tirar o pijama, tomar um banho, colocar uma roupa confortável como se estivesse saindo para trabalhar . Dessa forma tenho começado meus dias: esse apreço por si mesma e o auto cuidado são importantes nesse momento para nos tirar da prostração que, claro, insiste em nos rodear num momento tão difícil como esse. Ver séries também é uma ótima forma de entreter o cérebro com conteúdos interessantes que captam totalmente nossa atenção e nos diverte. Estudar nesse período em casa tem sido um delícia para mim, voltei para o inglês e tem sido ótimo. Cozinhar, fazer bolos, se permitir esses momentos de pura indulgência ...esse período não é o momento de nos cobrarmos, mas sim de cuidarmos com mais amor e generosidade de nós e dos outros.

Alô Alô Bahia - Como surgiu a ideia de promover lives com convidados renomados e o que você acha que tem contribuído para que elas tenham tanta audiência?   

SB - Sempre gostei de me comunicar, essa é a base do meu trabalho. As lives partiram, inicialmente, de um desejo meu de conversar com pessoas que fossem referência em suas áreas sobre questionamentos que eu estava me fazendo a respeito da nova comunicação que surge nesse momento, sobre a real situação do novo coronavírus no Brasil, sobre a retomada da economia. A partir disso, busquei convidados (médicos, empresários, publicitários, etc) e pensei: por que não abrir essa conversa para todas as pessoas que me seguem? Assim, consigo, de alguma forma, ajudar e tocar as pessoas que estão assistindo da mesma forma que eu sou ajudada. Então, a ideia é levar um insight e uma luz para as pessoas que me assistem. Com isso, a audiência veio naturalmente. Meu objetivo nunca foi ter números altos, mas sim ter conteúdo de qualidade e elevar o nível de debate na internet, que muitas vezes é superficial.

Alô Alô Bahia -  Quais mudanças você acredita que o atual contexto pode provocar no trabalho dos influenciadores digitais? Você acredita que este trabalho foi ressignificado de alguma forma?

SB - O mundo muda e a comunicação muda! Não só influenciadores digitais, mas qualquer título, empresa de marketing ou pessoa que trabalha com comunicação precisa adequar sua fala para esse momento tão sensível que estamos vivendo. E mudanças sempre são bem vindas. Eu olho para tudo que está acontecendo nesse momento como uma possibilidade de melhorar como ser humano e profissional também. É uma oportunidade única e quem ousar fazer a travessia sairá fortalecido.

Alô Alô Bahia - Quais principais aprendizados você acredita que podemos ter a partir dessa situação difícil que estamos vivendo?

SB - A pandemia escancarou a divisão de classes no Brasil e a necessidade de ajudarmos uns aos outros, independente da briga política que se encontra no nosso país. O vírus nos ensinou que não adianta eu cuidar apenas de mim, eu preciso cuidar do outro também. Precisamos ser mais humanos!

Alô Alô Bahia - Além das lives, você também está promovendo um bazar beneficente com peças suas e das suas filhas. Como funciona esse projeto?

SB - Esse é o quarto bazar que faço e, dessa vez, será on-line devido a situação que vivemos de isolamento social. São peças minhas, das minhas filhas e de marcas parceiras. Espero arrecadar um valor expressivo como aconteceu das outras vezes. O foco é ajudar instituições que estão passando por sérias dificuldades devido ao novo coronavírus. Tenho me movimentado, articulado com várias pessoas e instituições.

O momento do nosso país espera atitude de nós e que cada um ajude da maneira que puder. As pessoas estão com fome, então se puder, doe um prato de comida, um copo de água. Se sua realidade é outra, doe  dinheiro. Se não puder doar nada físico, doe sua força de trabalho. Eu acredito que, mais do que nunca, só a união e a generosidade com outro ser humano nos tirará dessa situação.