10 Sep 2021

Município na Chapada Diamantina vira point de cardeais petistas

Município na Chapada Diamantina vira point de cardeais petistas
Campos da Bahia
Um importante município da Chapada virou point dos cardeais petistas no inverno baiano. A cidade já começou a ser apelidada de Campos do Jordão Vermelho, depois que figuras de proa do partido construíram suas mansões de inverno por lá. As madames tiram suas peles e pelos do armário e os maridos os melhores vinhos e charutos. Quem adivinha o nome da cidade?
 
Curupaco
Dias difíceis para o ministro João Roma, que vem despencando nas pesquisas de intenção de voto. Caiu de 3% para 1,6% na última sondagem para o Governo da Bahia. Deve ser por isso que intensificou uma das suas maiores artes: a de papagaio de pirata, desenvolvida no tempo em que foi secretário de ACM Neto e andava agarrado no ombro do ex-prefeito. Agora, ele atingiu outro patamar e virou o Papagaio de Pirata Mor da República. Na visita de Bolsonaro a Tanhaçu, enquanto todos estavam sentados, ele ficou em pé atrás do presidente. Já no 7 de Setembro, colou no ombro do capitão, enquanto seus assessores filmavam tudo. Curupaco.
 
 
Jogo de cena
O senador Jaques Wagner (PT) subiu o tom após o 7 de Setembro e pediu o impeachment do presidente da República. Puro jogo de cena. Quem conhece o PT sabe que a ordem é fazer barulho, mas não mover uma palha. Aos petistas interessa manter o capitão sangrando até o final.
 
 
Esposas da discórdia
Tem causado ciumeira no PSD a iminente candidatura à Assembleia Legislativa de três esposas de três prefeitos pessedistas que comandam grandes cidades. A movimentação é conduzida pelos maridos Augusto Castro (Itabuna), Marão (Ilhéus) e Joaquim Neto (Alagoinhas) e visa pelo menos marcar território com as candidaturas das primeiras-damas - Andrea Simas, Soane Galvão e Ludmilla Fiscina, respectivamente. A questão é que, internamente, integrantes da legenda avaliam que a prioridade deveria ser dada à reeleição daqueles que já estão no Legislativo. Reclamam, ainda, que os prefeitos estão usando a robusta estrutura de suas administrações para "surrupiar" lideranças do entorno para fortalecer as candidaturas das excelentíssimas esposas.
 
Espólio
Apenas para contextualizar: Augusto Castro tem como trunfo sua base - foi deputado estadual até 2018, quando perdeu a reeleição. Marão, por sua vez, quer os votos da mãe, Angela Sousa, outra que foi derrotada na eleição passada. Já Joaquim apoiou seu então secretário Geraldo Melo na eleição passada. Também perdeu.
 
 
Vacas magras
O cenário das eleições do próximo ano está deixando de cabelo em pé o senador Otto Alencar (PSD) e o vice-governador João Leão (PP) devido ao sério risco de redução de suas bancadas federais nas eleições do próximo ano. Além do potencial aumento do número de aliados de ACM Neto no Congresso, há também a questão das coligações proporcionais - com elas, os partidos robustos usam os nanicos como escada. Justamente por isso as duas legendas estão engajadas na pauta do retorno das coligações. No cenário atual, as estimativas apontam que PSD e PP devem eleger três deputados federais cada. Aqueles nomes com potencial médio já começaram a sondar outros partidos, pois sabem que a situação nesta dupla deve ser mais difícil. Se essa debandada se confirmar, vai ser um Deus nos acuda.
 
 
Semelhanças
Caciques baianos avaliam que a situação do presidente Jair Bolsonaro, após as manifestações da última terça-feira (7), cada vez mais se assemelha ao caso de Fernando Collor. Isso pelo fato de que tem crescido a tese de que a abertura de um pedido de impeachment pode dar um "susto" em Bolsonaro, assim como aconteceu com Collor no caso Elba. O problema é que o caso cresceu e o impeachment se concretizou, o que também pode acontecer com Bolsonaro, que está cada vez mais isolado. Apenas para registro: o presidente da CPMI que fundamentou o pedido de impedimento de Collor foi o ex-deputado baiano Benito Gama.
 
 
Urubus
Após o anúncio feito pelo PDT de que expulsaria os deputados bolsonaristas Samuel Júnior (estadual) e Alex Santana (federal), já tem partido com o radar ligado para atrair a dupla. Inclusive, um deles, integrante do centrão e inclusive com ministro no governo Bolsonaro, já iniciou a sondagem. O PDT até avisou que vai buscar os mandatos da dupla de evangélicos, mas no fundo sabe que dificilmente isso vai ocorrer. Daqui a pouco Samuel e Alex aparecem de casa nova.
 
 
Conversa séria
Por falar no PDT, os deputados estaduais Euclides Fernandes e Roberto Carlos vão ser chamados para conversar com a executiva do partido. A questão é que a sigla deixou a base do governo do PT na Bahia e deve marchar com ACM Neto na disputa pelo Palácio de Ondina, mas os parlamentares seguem ao lado de Rui Costa e Wagner.
 
 
Só love
Roberto Carlos, aliás, andou trocando afagos com o presidente estadual do Democratas, Paulo Azi. Em um evento no interior do estado, Roberto apareceu em uma foto abraçado com Azi. Nos corredores, dizem que o abraço já simboliza o que vem no próximo ano. Será mais um a deixar a base governista e migrar para o grupo de Neto?
 
 
O bom filho...
Voltaram a crescer os rumores de retorno ao PSL do deputado federal Marcelo Nilo, hoje no PSB. A conta de Nilo é simples: o PSB só deve eleger um federal no próximo ano - vaga que deve ficar com a presidente do partido na Bahia, Lídice da Mata. Para ser reeleito, Nilo teria que migrar para outra legenda e o PSL, que conta com uma volumosa parcela do fundo eleitoral, é bastante atrativo. Recentemente, Nilo até se encontrou com os deputados federais Elmar Nascimento (DEM), que deve seguir para comandar o PSL, Adolfo Viana (PSDB) e Leur Lomanto Jr (DEM), todos ligados a ACM Neto. O ex-presidente da Assembleia fez até questão de registrar o encontro em suas redes sociais. O recado foi dado.
 
Disfarce de candidato
 
Ex-secretário de Saúde da Bahia demitido após ofender uma famosa chef de cozinha de Salvador, Fábio Vilas-Boas postou nesta quinta-feira (09) no Instagram um vídeo com toda pinta de pré-campanha. Na publicação, ele afirmou que estava colocando o "pé na estrada", ao anunciar o que seria uma viagem política rumo ao sul da Bahia. Mas um político da base governista na Assembleia Legislativa garantiu que, na verdade, Villas-Boas viajou para descansar em uma propriedade no município de Uruçuca. "Tudo isso é para disfarçar, para dizer que está se movimentando. Ele não será candidato nem a estadual e nem a federal. Não pela base do governo", garantiu a fonte.
 
 A coluna Alô Alô Política é publicada às sextas, sempre ao meio dia, nos portais CORREIO e Alô Alô Bahia. Também pode ser conferida através do endereço www.aloalopolitica.com e do Instagram @aloalopolitica.
 
Foto: Divulgação

NOTAS RECENTES