A ausência de Wagner, o desânimo do PT e o descontentamento de Geraldo com Jerônimo

Falta no primeiro dia
A ausência do senador Jaques Wagner (PT) na abertura da campanha de Jerônimo Rodrigues foi encarada como um claro recado ao governador Rui Costa. Fontes do núcleo duro petista dizem que Wagner tem se queixado muito que Jerônimo não emplaca e que a culpa é de Rui, que não preparou o sucessor e ainda desmantelou a base governista. O senador, inclusive, teria confidenciado a um aliado que está evitando "dar pitacos" na campanha para deixar a possível derrota integralmente na conta de Rui.
 
Desânimo e medo
Um sentimento de desânimo e medo tem abatido a campanha petista. Desânimo, pois as melhores previsões internas projetam um teto de 30% dos votos válidos para Jerônimo. Algo insuficiente para forçar um 2° Turno. E medo do destempero emocional do governador. Prevendo que a culpa derrota está prestes cair em seu colo, Rui tem aparecido no núcleo de campanha cada vez mais nervoso. É esporro tamanho G pra todo lado.
 
Audiência baixa
Foi constrangedor o podcast realizado pela dupla Geraldo e Jerônimo essa semana. Durante a live, transmitida nas redes sociais, pouco mais de 100 pessoas acompanharam. Para se ter uma ideia, no mesmo dia, um prefeito de uma cidade de médio porte da Bahia realizava uma live com mais pessoas assistindo do que o tal podcast da dupla. Novamente, virou meme.
 
Mui Amigo
Descontente com o desempenho do companheiro de chapa, Geraldo Júnior tem falado que se o cabeça da chapa fosse ele, a história seria outra. O emedebista contou numa roda de vereadores, que nem Olga Curado - uma das maiores especialistas em media trainning do Brasil – conseguiu dar jeito em Jerônimo Rodrigues, que continua sem empolgar e se atrapalhar nas entrevistas e sabatinas.
 
Calafrio

Um servidor da Conder tem se mostrado obcecado pelo ex-prefeito ACM Neto. Nas últimas semanas, o rapaz passou a se dedicar quase que exclusivamente à função de criar e divulgar memes/fake news contra o candidato do União Brasil. Nas horas vagas, dá expediente na Conder, mesmo já sendo identificado que é tímido o seu conhecimento técnico sobre as atribuições da companhia. Pessoas do entorno dizem que ele chega a ter calafrios só de imaginar que pode perder a boquinha a partir de janeiro de 2023.
 
 
Escadinha
Candidatos a deputado estadual e federal do PT não estão gostando nada da tal federação com PV e PCdoB. A queixa deles é que estão sendo usados de "escada" para eleger parlamentares de PV e PCdoB. A situação é pior entre os federais. Dos 33 candidatos a federal, somente seis são do PV e PCdoB - três de cada. Reclamam que a federação vai fazer o partido perder ao menos duas vagas na Assembleia e uma no Congresso.
 
 
Calote na Educação
Uma auditoria do Tribunal de Contas do Estado derrubou mais um castelo de ilusões da propaganda do PT sobre a educação na Bahia. A Corte identificou que 46% dos profissionais do magistério tiveram, em 2021, salário-base abaixo do que determinava o Piso Nacional naquele ano. A batata quente está na mão de Jerônimo Rodrigues, candidato petista ao governo da Bahia, que foi secretário de Educação entre 2019 e março de 2022, período em que a lei federal também nunca foi cumprida - pelo contrário, só fez aumentar a quantidade daqueles que recebem menos do que a lei prevê. 
 
Prejuízo nas metas
A inspeção do TCE sobre esse quesito começou em 2017 e desde então o calote do governo vem sendo registrado em todos os relatórios de auditoria. Não bastasse o impacto direto no bolso dos professores, a situação constatada compromete uma das metas do Plano Estadual de Educação, que é a existência do Planos de Carreira para os profissionais da Educação Básica pública, cuja remuneração deve ter como referência o Piso Salarial Profissional Nacional.
 
Legião de candidatos
O clima é de otimismo entre aliados de ACM Neto que disputam cadeiras na Assembleia Legislativa e na Câmara dos Deputados. Além de considerarem um trunfo a liderança disparada do ex-prefeito de Salvador nas pesquisas, acreditam também que o grande número de candidatos vai fazer com que as bancadas estadual e federal superem as expectativas. O exército de candidatos de Neto é mais do que o dobro do que o de Jerônimo - são 726 contra 334.
 
 
Dinheiro vem, dinheiro vai
O governo da Bahia deixou escapar 40% dos recursos federais que foram captados para o estado em 2021. A gestão estadual devolveu ao governo federal R$ 78,8 milhões do total de R$ 193 milhões que estavam à disposição do estado. Na avaliação dos auditores do TCE “o Executivo vem demonstrando, de maneira reiterada, ineficiência no aproveitamento dos recursos captados, uma vez que valores significativos têm sido devolvidos”. Para além disso, parte da devolução (R$ 3,3 milhões), feita pela Sedur referente ao saldo de um convênio, pode ter ocorrido maneira equivocada, porque o valor saiu da Conta Única do Tesouro Estadual e não houve, segundo o TCE, documentação comprobatória. Quando colocaram a lupa, os contadores da Corte viram registros da mesma natureza realizados ao longo dos últimos cinco anos, somando R$18,9 milhões que podem ter sido pagos indevidamente pelo Poder Executivo.
 
Foto: Divulgação.

NOTAS RECENTES