Vai ter Carnaval na Bahia em 2022? Veja o que se sabe até agora

redacao@aloalobahia.com

Quando o Carnaval desse ano foi cancelado devido à Covid-19, não foram só os foliões que sofreram saudosos, impedidos de pular atrás do trio ou circular pelos camarotes. Junto com a ausência sentida do glitter em cada esquina, as cerca de 1,2 milhão de pessoas que não passaram pelas rotas dos festejos deixaram de gastar cerca de R$ 1,8 bilhão, de acordo com estimativa divulgada no início do ano pela Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secult) e pela Empresa Salvador Turismo (Saltur). Por esses e outros motivos a ansiedade em torno da confirmação da festa cresce a cada dia. O Alô Alô Bahia procurou nomes chave da folia baiana para traçar um panorama do que se tem até agora e de perspectivas para 2022.
Isaac-Edington
“O Carnaval é a nossa principal festa do calendário de eventos, responsável pela movimentação financeira de Salvador, que impacta em praticamente todos os setores econômicos, onde se destacam o turismo, cultura e entretenimento, além de ser um dos mais importantes instrumentos de promoção da cidade. Todas as nossas equipes trabalham nos preparativos para a realização da festa. Com os indicadores sanitários e de vacinação avançando como estão até agora e se seguirmos com a imunização da população, acreditamos ser possível realiza a festa, entretanto essa definição só deverá acontecer no início de novembro”.
Isaac Edington
Presidente da Empresa Salvador Turismo (Saltur)
 
Tereza-Paim
“Avaliamos o cenário epidemiológico diariamente e, no momento, com apenas 50% do público-alvo vacinado com as duas doses, grandes eventos não são permitidos, vide o decreto estadual que limita a 1.200 pessoas. É preciso um esforço conjunto, de toda a sociedade, para viabilizar o retorno seguro de todas as atividades e eventos, a exemplo do carnaval. Temos quase 2 milhões de pessoas que não foram tomar a segunda dose da vacina e o adequado é que, pelo menos, 80% da população esteja completamente imunizada, ou seja, com as duas doses”.
Tereza Paim,
Secretária de Saúde do Governo do Estado

Tinho-Albuquerque
“A não realização das festas em 2021 acarretou um grande prejuízo para a nossa empresa e, também, para a cidade, que tem vocação natural para o turismo de eventos. Para 2022, nossa expectativa é positiva, pois todos os indicadores levam a crer que estamos superando a pandemia e, com o avanço da vacinação, as coisas tendem a melhorar. Voltaremos a receber os turistas que, além de trazer alegria, contribuem de forma decisiva para geração de emprego e renda de toda a cadeia produtiva”.
Tinho Albuquerque,
Diretor da Central do Carnaval
  Fotos: Divulgação/ Reprodução/ Redes sociais. Siga o insta @sitealoalobahia.

NOTAS RECENTES