Sommelier de Azeites dá dez dicas preciosas sobre a iguaria

No Rio de Janeiro, quem sai às compras em busca de ingredientes refinados e específicos para receitas elaboradas, com certeza conhece a Delly Gil.
 
A casa, uma das mais tradicionais do bairro do Leblon, possui em seu mix mais de três mil produtos, entre vinhos, embutidos, diversos tipos de caviar e até um bacalhau importado do tipo gadus morhua, que é comprado pelo consulado norueguês da cidade.
 
Já os azeites ocupam um lugar especial nas prateleiras e no coração de Lívia Pirozzi, que ao lado do pai Gil é uma das sócias da casa.
 
A empresária é formada pela Escuela Europea de Cata, da Espanha e contabiliza inúmeros cursos e certificações que a transformaram numa das maiores autoridades brasileiras no assunto.
 
A pedido do Alô Alô Bahia, Lívia deu 10 dicas para quem quer começar a se aventurar no universo repleto de aromas e sabores dos azeites:
 
1 - Escolha os azeites novos: quanto mais frescos, melhores para a saúde. Por isso a data do envase próxima deve ser próxima ao ano vigente;
2 - A cor não define a qualidade, portanto desapegue das garrafas transparentes; 3 - Azeite não filtrado é um azeite inacabado e com defeitos. Os que ficam em prateleiras por anos, não são recomendados; 4 - Para alguns, quanto mais verde, melhor o azeite. Deve-se ter atenção pois essa coloração pode ser um sinal de clorofila adicionada ao produto. Somete na análise sensorial em casa, pode determinar essa questão; 5 - Qual a melhor acidez para o azeite? Pode ser de 0,1 à 0,8 para serem extravirgens, isso é sem defeitos. A acidez não define a qualidade e seres humanos não conseguem definir ela apenas pelo paladar. É apenas um parâmetro químico. Pode passear entre os 0,3 e os 0,5; 6 - Primeira prensagem a frio é irrelevante na qualidade do azeite. 98% das fábricas já fazem o processo de extração do azeite por centrifugação e nem existe mais prensas para fazer os azeites como nos tempos antigos;  7 - Depois de aberto, recomenda-se o consumo em até 40 dias. Prefira as garrafas escuras; 8 - Não é recomendado transferir o azeite para outros recipientes, pois a limpeza pode ser difícil deixando água ou restos de azeites antigos;   9 - Azeites de qualidade superior são produzidos e engarrafados no mesmo local, isso garante a estabilidade e a qualidade do sabor e aroma. Essa informação fica na parte detrás do rótulo; 10 - Desconfie de azeites muito baratos. Para 1 litro de azeite são necessários de 9 a 11 quilos de azeitonas, portanto desconfie. Provavelmente é um produto defeituoso ou misto. Ou seja: quando há mistura de azeite refinado na composição. Leia sempre os ingredientes na parte posterior do rótulo. Deve-se ler somente: "azeite de oliva extravirgem";
 
Por: Pedrinho Figueredo (@pedrinhofigueredo)
 
Foto: Divulgação. Siga o insta @sitealoalobahia

NOTAS RECENTES