Sítio Burle Marx pode se tornar Patrimônio Mundial da Unesco

Gabriela Cruz é jornalista, ilustradora e escreve para o Alô Alô Bahia. 

Se você ainda não visitou o Sítio Burle Marx, minha sugestão é que coloque este lugar mágico no seu próximo roteiro de viagem ao Rio de Janeiro. Localizado em Barra de Guaratiba, na Zona Oeste da cidade, trata-se de uma experiência visual sem precedentes tanto para que ama botânica e paisagismo quanto para quem tem curiosidade sobre a vida do paisagista Roberto Burle Marx, que pensou em cada canto da propriedade.
 
Se estas não são razões suficientes, saiba que este lugar especial pode, na segunda-feira (26), ser reconhecido como patrimônio mundial pelo Comitê da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).
 
A 44ª sessão começou neste sábado (24) e acontece em Fuzhou, na China. Se for conquistado, este será o 23º título do Brasil, entre patrimônios mundiais culturais - o Centro Histórico de Salvador (BA) é um deles -; naturais, como a Costa do Descobrimento - Reservas da Mata Atlântica (BA/ES); e misto, como a cidade histórica de Paraty e a Ilha Grande.
 
Para estar apto, o local, que é gerido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) desde 1994 - após a morte de Burle Marx -, foi requalificado para se adequar à visitação do público e potencializar ações de pesquisa. Por meio da Lei de Incentivo à Cultura, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) investiu cerca de R$ 5,4 milhões.
 
Hoje, é possível receber 140 pessoas por dia, com visitas guiadas previamente agendadas e que podem ser feitas de terça-feira a sábado, exceto feriados. As inscrições se dão através do e-mail: srbm@iphan.gov.br. Para saber mais: sitiorobertoburlemarx.org.br/en/.

Foto: Oscar Liberal/Iphan/divulgação. Siga o insta @sitealoalobahia.

NOTAS RECENTES