Servidora do Parque de Abrolhos, na Bahia, ganha prêmio ambiental internacional

redacao@aloalobahia.com

Maria Bernadete Barbosa, conhecida como Berna, trabalha há 35 anos na conservação do Parque Nacional Marinho de Abrolhos, na Bahia, e é a primeira brasileira a ser reconhecida com o Prêmio Internacional dos Guarda-Parques (International Ranger Awards), organizado pela União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN). Abrolhos é considerado o local com a maior biodiversidade marinha do Brasil e do Atlântico Sul.

Berna é servidora do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e foi premiada em U$ 10.000 pela instituição estrangeira, valor que deverá ser utilizado para estender e conduzir as ações locais. Esta é a terceira edição do prêmio que reconhece o ofício dos guardas-parque, profissionais que atuam em unidades de conservação. O prêmio teve 100 candidatos avaliados.

De acordo com o ICMBio, a escolha da ganhadora se deu por meio de um painel de juízes formado por representantes das organizações realizadoras. Segundo a IUCN, dentre os critérios para seleção estão: “A dedicação e o comprometimento com a área protegida, bravura frente a grandes desafios ou graves ameaças, atuação de destaque e demonstração do impacto decisivo e excepcional da contribuição do candidato”. 

O evento da premiação ocorreu de forma remota anteontem, 26 de julho. Em seu discurso, a servidora disse: “Com meus 60 anos, sirvo aqui de exemplo e recebo esse prêmio importante que me alegra demais. Gostaria só de agradecer por esse prêmio maravilhoso pro Brasil e para uma Unidade de Conservação federal”, pontuou.

Sobre Berna

Símbolo da promoção da conservação marinha no Brasil, Maria Bernadete, apelidada carinhosamente de Berna, tem 35 anos de trabalho na região. Em 2019, recebeu o prêmio “Guarda-Parque Destaque da América Latina”, no 3º Congresso de Áreas Protegidas da Latinoamérica e do Caribe – na ocasião, foi a única mulher homenageada. Em 2021, recebeu o título honorífico de Amigo da Marinha, por todo o serviço prestado à Marinha do Brasil, importante parceira do ICMBio em Abrolhos.

Segundo a analista ambiental Josângela da Silva, Berna é reconhecida por todos que atuam ou atuaram no Parque devido a seu conhecimento, disponibilidade em contribuir e por ser uma grande anfitriã. Seu vasto conhecimento de área permitiu a detecção precoce de novas ameaças, como o branqueamento dos corais. Ela trabalha com sua equipe, pescadores, comunidade local, pesquisadores e visitantes para comunicar e respeitar os valores do Parque.

O Parque Nacional Marinho dos Abrolhos é o primeiro parque nacional marinho do Brasil e tem 40 anos de história, que está ligada à história de vida da servidora. Na década de 1980, Berna visitou o arquipélago e se apaixonou pelo parque. Ela e o marido Adolfo se mudaram e foram contratados como guarda-parques. Ele faleceu logo depois.

Nas mais de três décadas, realizou atividades de educação ambiental, gestão de visitação, apoio à proteção, principalmente monitoramento de entrada de embarcações ilegais e monitoramentos, em especial de tartarugas, aves e corais, além do controle e manejo de espécies exóticas invasoras. Para o ICMBio, a história da servidora colabora para que o Brasil seja reconhecido como um dos países estratégicos na preservação do meio ambiente e das unidades de conservação.

Por Hilza Cordeiro, com informações da Agência Brasil e ICMbio | Foto: Daniel Venturini/ICMBio

Leia mais notícias na aba Notas. Acompanhe o Alô Alô Bahia no TikTok. Siga o Alô Alô Bahia no Google News e receba alertas de seus assuntos favoritos. Siga o Insta @sitealoalobahia, o Twitter @AloAlo_Bahia e o Threads @sitealoalobahia.

NOTAS RECENTES