😷

infectados

😔

mortes

🙂

recuperados

12 Feb 2020

Sede da Secis inova ao adotar iniciativas sustentáveis em edifício

Sede da Secis inova ao adotar iniciativas sustentáveis em edifício  Em meio ao cenário urbano do Comércio, um edifício com um design arrojado e uma fachada de 200 metros quadrados coberta por mais de 1,2 mil plantas, de 17 espécies, chama a atenção de quem passa entre as ruas Miguel Calmon e a da Grécia. O local abriga a nova sede da Secretaria Municipal de Sustentabilidade, Inovação e Resiliência (Secis), inaugurada nesta quarta-feira (12) pelo prefeito ACM Neto e pelo titular da pasta, André Fraga.
 
A solenidade também contou com as presenças do vice-prefeito Bruno Reis, de autoridades e servidores da Secis, que já estão instalados na nova casa. O prédio da secretaria, aliás, não apenas chama atenção por fora, como também por dentro, contendo estruturas e elementos que reúnem mais de 20 iniciativas sustentáveis.
 
“Temos uma sede que seu design e aparência se harmonizam com as construções antigas do Comércio. Não é apenas algo que impacta por fora, por causa da fachada verde, mas que tem dentro de si um conteúdo que reforça nossa política de sustentabilidade e inovação”, afirmou ACM Neto.
 
O prefeito ainda lembrou que, em 2013, a Prefeitura teve a decisão pioneira de implantar uma secretaria que cuidasse de temas de sustentabilidade. “Antes, Salvador não tinha políticas voltadas para proteção ao meio ambiente. Passados sete anos, a cidade se tornou referência nesse tema, muito por conta das ações e resultados concretos que alcançamos. A capital baiana, hoje, é convidada para participar dos principais fóruns nacionais e internacionais sobre resiliência, mitigação e adaptação às mudanças climáticas”, disse.
 
Na ocasião, o chefe do Executivo assinou o projeto de lei que institui a Política Municipal de Inovação. O documento será encaminhado à Câmara dos Vereadores e prevê, dentre outras ações, incentivos fiscais para o desenvolvimento de atividades tecnológicas e do empreendedorismo inovador na cidade.
 
Ecologia – Ao todo, a nova sede da Secis tem 23 iniciativas sustentáveis nas instalações. A lista traz desde a opção por lâmpadas de LED e torneiras com temporizadores, até a instalação de placas solares produtoras de energia fotovoltaica e o aproveitamento de água da chuva para irrigação da fachada verde do prédio e da grama do terraço, além de horta e bicicletário.
 
O titular da Secis, André Fraga, reforçou que o novo prédio é referência de prédio público no país. “A inauguração dessa estrutura é um marco para a cidade. Pensamos em um espaço de trabalho que seja inspirador paras pessoas. Em todas as dependências do imóvel há, por exemplo, arte urbana de artistas locais, espalhada na escada, nos painéis. Vale lembrar que o terraço já vem sendo ocupado pela sociedade. Já são quase mil pessoas reunidas em eventos como bate-papos e workshop, realizados antes mesmo da inauguração”.
 
“Essa nova sede é a representação do que a Prefeitura tem feito em cumprimento à agenda de sustentabilidade, com a implementação de parques e requalificação de áreas verdes de Salvador”, acrescentou Fraga.
 
Biodiversidade – Além de tornar a região do Comércio mais bonita, as plantas da fachada da nova sede da Secis proporcionam a melhoria do microclima das redondezas e reduz a demanda por refrigeração no próprio edifício. A vegetação possui um sistema de irrigação automatizado, que reaproveita a água da chuva e dos condensadores dos aparelhos de ar-condicionado.
 
O espaço também contribui com a biodiversidade ao contar com uma criação de abelhas sem ferrão da espécie Jatahy, que são abelhas nativas que prestam importante papel na polinização das plantas e têm baixa presença em áreas urbanas. Este é o primeiro meliponário dentro de um prédio público de Salvador inserido totalmente no ambiente urbano.
 
Assim como faz em vários espaços da cidade, a Secis implantou uma horta no terraço da sede, destinada aos colaboradores da pasta. Nos vasos, são cultivados manjericão, alecrim, coentro, salsa, sálvia, tomilho, orégano, cebolinha, hortelã-miúda e couve.
 
Um quarto do terraço do prédio é ocupado por um sistema de cobertura verde, com grama da espécie Zoysia japonica, conhecida popularmente como Esmeralda. São 185 m² que também ajudam a regular o microclima e reduzir a demanda por refrigeração, consequentemente reduzindo, também, o consumo de energia elétrica. De acordo com estudos desenvolvidos na Universidade de São Paulo (USP), as coberturas verdes podem reduzir em até 5°C a temperatura em um microclima.
 
Encontros – Além dos elementos sustentáveis, a laje da Secis também é palco para reuniões, encontros, integrações e rodas de conversas. Foi dentro dessa perspectiva que nasceu o Laje Talks, um projeto com acesso gratuito no qual são realizados bate-papos com a proposta de conversar sobre temas de interesse público associados à sustentabilidade e que dialoguem com a cidade. Em sete edições realizadas, cerca de 700 pessoas já participaram do evento, que acontece todas as terças, às 18h.
 
Eficiência e energias renováveis – A nova sede também é referência em relação ao uso de energia. Parte do consumo de energia do edifício é gerada a partir de um sistema que conta com 34 painéis solares fotovoltaicos instalados no terraço, gerando 1.428,269 kW por mês, o que evita a emissão de 421,55 kg de CO2 em um ano.
 
A iluminação do prédio foi pensada para depender o mínimo possível de energia comum. O projeto interno foi constituído para aproveitar, ao máximo, a iluminação natural e reduzir o consumo de energia. Para isso, foram instaladas divisórias de vidro e nenhuma película foi usada nas janelas nos espaços integrados de trabalho.
 
Todas as luminárias usadas no local possuem lâmpadas em LED, que consomem pouca energia e têm grande durabilidade. Além de todas essas medidas, os equipamentos que foram adquiridos tiveram o selo de eficiência energética do Programa de Nacional de Conservação de Energia (Procel), como um elemento definidor para a aquisição.
 
Gestão de resíduos
- Todos os andares contam com coletores de resíduos de materiais recicláveis, que, após triados, são encaminhados para a cooperativa Coopcicla. Os resíduos orgânicos provenientes do refeitório são destinados a uma composteira que funciona com minhocas, transformando cascas de frutas e verduras em composto usado na horta do terraço.
 
Na Secis, passa a funcionar também um ponto de entrega para diversos materiais que não devem ser descartados no lixo comum. Ou seja, no local, qualquer cidadão pode levar equipamentos eletroeletrônicos usados ou quebrados, lâmpadas queimadas, óleo usado além de pilhas e baterias que a secretaria dará a destinação adequada.
 
Gestão das águas – A gestão de todas as águas dispostas no edifício também é sustentável. Por exemplo, a água da chuva que cai no terraço é captada e utilizada para a irrigação da fachada verde. A água de condensação do sistema de ar-condicionado é captada e também utilizada para a irrigação das plantas da fachada. Serão cerca de 13 mil litros de água aproveitados mensalmente.
 
As torneiras do edifício possuem dispositivos economizadores de água, como arejadores, spray e/ou temporizadores, que reduzem em até 70% o uso de água. Já as descargas dos vasos sanitários possuem comando duplo, que, associado a uma campanha de engajamento, proporciona uma maior economia do uso da água.
 
Zero descartáveis – A Secis adota a prática de não utilizar descartáveis nas suas dependências. Copos e canudos, por exemplo, são substituídos por canecas e garrafas. Até os visitantes são incentivados a levarem suas garrafinhas quando visitam o prédio para alguma reunião ou evento.
 
Arte – Em paredes e escadas da secretaria existe arte de artista baianos por toda a parte, desde o primeiro degrau do térreo até o refeitório, no primeiro andar, e em outros espaços do prédio, como no terraço. Quem optar em subir por escada vai encontrar letras de músicas desenhadas em cada degrau.  A ideia é estimular, de maneira criativa, a prática da atividade física no cotidiano do servidor e, por consequência, a redução do sedentarismo. Cada arte exposta tem o objetivo de trazer beleza e reflexão para o ambiente, além de bem-estar para quem trabalha nele.
 
Mobilidade – Desde 2017 a Secis estimula o seu servidor a se deslocar de casa para trabalho de bicicleta, concedendo abono de um dia de serviço para quem, durante 15 dias úteis por mês, utilizar a bike como meio de transporte. Por isso, na reforma do prédio não poderia faltar bicicletários e um banheiro para suporte aos adeptos à mobilidade ativa.
 
 
Foto: Divulgação. Siga o insta @sitealoalobahia.