3 Feb 2021

Salvador se une ao movimento Aliança pela Ação Climática

Salvador se une ao movimento Aliança pela Ação Climática
A capital baiana é uma das participantes da criação da Aliança pela Ação Climática, coalizão subnacional organizada pela ACA Brasil dedicada a empreender medidas sistematizadas para o enfrentamento da crise climática mundial. O movimento é parte de uma rede que já existe em países como Estados Unidos, Vietnã, México, Argentina, Japão e África do Sul.

A Carta Compromisso foi assinada, na semana passada, pelo prefeito Bruno Reis. Além de Salvador, também firmaram apoio quatro governos estaduais, o Distrito Federal, 20 prefeituras, oito organizações da sociedade civil e cinco empresas.

A ideia do movimento é que cada filiado apresente compromissos em sintonia com o Acordo de Paris. Por exemplo, as empresas devem assumir metas de redução de emissões; os investidores, de descarbonização de seus porfólios; e estado e municípios, de elaborar planos de mitigação e adaptação.

“Sabemos da importância e da emergência do debate a respeito desse tema e buscamos alianças nacionais e internacionais com organizações que nos tragam conhecimento técnico para que possamos avançar mais ainda nessa agenda aqui na capital”, declarou a titular da Secretaria Municipal de Sustentabilidade e Resiliência, Edna França.

Ação Climática – Salvador segue o Acordo de Paris e passou a ter o próprio Plano de Ação Climática no final do ano passado, sendo a primeira das nove cidades da América Latina – diretamente apoiadas pelo Grupo C40 de Grandes Cidades para a Liderança do Clima – a obterem esse reconhecimento.

Dividido nos eixos Salvador Inclusiva; Verde-azul; Resiliente; e Baixo Carbono, o Plano de Mitigação e Adaptação às Mudanças Climáticas de Salvador propõe 57 ações de curto, médio e longo prazos relacionadas à mitigação e à adaptação climática, tendo como horizontes os anos de 2024, 2032 e 2049.
 

NOTAS RECENTES