Rio Vermelho ganha centro cultural instalado em casarão histórico do começo do século 20

Com informações do Jornal CORREIO

Foram mais de quatro anos de reforma e de um cuidadoso trabalho de restauro, executados na calada e protegidos por um enorme tapume de alumínio. O belo casarão de estilo neoclássico - cuja fachada é decorada com vitrais belgas coloridos e ostenta no alto, jarros e estatuetas em faiança portuguesa - foi erguido no começo do século 20 e pintado em tons de cor-de-rosa, tornando-se um dos símbolos do patrimônio arquitetônico que integra a paisagem da Praça Colombo, ali próximo ao Largo da Mariquita, no Rio Vermelho. 

Esta semana, o casarão reabre suas enormes portas e janelas descortinando a vista para o mar que a partir de agora poderá ser apreciada por quem passa pela sua calçada de pedra portuguesa. Os tons do projeto original não foram apenas mantidos nas paredes como batizam o centro cultural de Casa Rosa, que será inaugurado no próximo dia 13, às 19h, com um show do cantor e compositor Mateus Aleluia com o maestro Ubiratan Marques, depois de um ano promovendo ações como shows, concertos e exposições virtuais.

Ao longo deste verão, o espaço terá uma diversificada programação cultural que vai da música clássica à gafieira passando por shows de artistas da música brasileira. Cantores como Jussara Silveira, Luciano Bahia e Lazzo Matumbi integram a grade de atrações do palco Viração, instalado na área externa da casa, banhada pelas águas do mar do Rio Vermelho.  O palco ganhou este nome por trazer a brisa que sopra do mar para o pátio, a ampla área aberta onde foi instalado, que é apenas um dos muitos aprazíveis ambientes do espaço que conta ainda com teatro, salas de ensaio e de concerto, bar, cozinha, galeria, foyer e praça com vista total para o mar. 

Tudo projetado de forma a unir e adaptar cada ambiente ao que se propõe. Um exemplo é o Teatro Cambará que é separado da Praça Viração por uma gigantesca porta de vidro que serve para isolar ou integrar um espaço do outro, permitindo experimentações diversas nos eventos ofertados. O projeto arquitetônico que leva a assinatura do escritório Rose & Fritz Arquitetos privilegiou a integração dos espaços resguardando materiais originais com os pisos de madeiras que foram retirados, tábua por tábua, restaurados e reassentados respeitando os desenhos encontrados lá.

Vale ressaltar os assoalhos de madeira nobre, arredondados e em dois tons que formam as belíssimas mandalas que revestem o piso do foyer. “Nossa preocupação era manter a originalidade do projeto, mesmo fazendo as intervenções físicas para atender às necessidades do projeto, cuidamos para que aquela áurea do começo do século fosse percebida pelo visitante e que, por outro lado, atendesse às necessidades do cliente”, explica a arquiteta Rose Lima, que é também responsável, em parceria com Patrícia Si Barreto, pela consultoria artística do centro cultural.

O cliente em questão é Zaba Moreau, diretora da Associação Viração, entidade sem fins lucrativos, criada em 2019, com o objetivo de promover arte, cultura, educação, e ações na área socioambiental, dona do empreendimento. “Eu atuo há mais de quatro décadas nesta área, especialmente com captação de recursos, e quando vi que esta casa que eu sempre admirei estava à venda, decidi que aqui seria a sede da Viração”, conta a diretora da associação que tem na sua composição investidores da economia criativa que preferem se manter no anonimato.

Para Zaba, que é ex-mulher e mãe de quatro filhos do cantor e compositor Arnaldo Antunes, e que pertence à família Clemente Mariani, a proposta da Casa Rosa é oferecer ao público experiências. “Aqui iremos abraçar e ajudar a promover todas as linguagens artísticas, desenvolver ações socioambientais e dialogar com a cidade”, diz. As experiências se estendem pela gastronomia. De janeiro a março deste ano, os chefs Gabriel e Rosa Guerra, do Larriquerri, serão responsáveis pela cozinha da casa, que lá ganhou o nome de Puxadinho Larribar, e vai oferecer um cardápio elaborado exclusivamente para o espaço. A cada domingo, durante a realização do Domingão na Casa Rosa, os chefs prepararão aquelas comidas que os baianos costumam oferecer aos convidados como feijoada, sarapatel etc. Tudo embalado com boa música. 

A proposta do espaço é funcionar de quinta a domingo, sempre com uma programação variada que será distribuída por todos os cômodos da casa. Para além da programação musical prevista, a Casa Rosa, planeja ocupar seus espaços também com a produção virtual desenvolvida no ano passado, quando estava preparada para abrir as portas e teve que adiar por conta da pandemia. Nestes tempos foram realizados ali exposições, concertos, shows, gravações e outras atividades disponibilizadas nos canais virtuais da casa que agora poderão ser conferidas in loco.  (via Ronaldo Jacobina).
xxxxx
Curiosidades sobre o Palacete Rosa
No livro de Ubaldo Marques Porto Filho, publicado pela Associação dos Moradores do Rio Vermelho, em 1991, o construtor da casa, que já foi chamada de Palacete Cor-de-rosa, foi o milionário Artur Palácio, que tinha uma vida social intensa e teria mandado fazer a mansão para realizar ali bailes e saraus com16 quartos, dois salões, salas para orquestra e para jogos, etc. A badalação, segundo o autor, acabou na década de 1930, quando Palácios vendeu o imóvel para o comerciante José Nasser Borges que viveu ali com a mulher, sem filhos, até 1962. Com a morte do casal, a casa teria ficado de herança para um sobrinho residente no Líbano que veio a Salvador e a vendeu a um espanhol que o alugou para um restaurante, batizado de Casablanca, que durou pouco tempo. Em 1967, o imóvel foi adquirido pelo médico Mário Augusto Castro Lima, ex-ministro da Saúde, fixando residência com sua mulher Denacy que, após ficar viúva e sozinha, decidiu vende-la a Zaba Moreau que a transformou no Centro Cultural Casa Rosa. 

Serviço:
Praça Colombo, nº 106, Rio Vermelho. 
@casa_rosa_salvador
PROGRAMAÇÃO – JANEIRO. 2022
LOCAL: ESPAÇO VIRAÇÃO
Capacidade de público: 240 pessoas
SHOW DE ABERTURA – 20h (Espaço aberto a partir das 19h)
Mateus Aleluia com Maestro Ubiratan Marques
Data: 13 de janeiro de 2022
Valor: R$ 120,00 (inteira) e R$ 60,00 (meia-entrada), vendas pelo sympla
SARAU DA CASA ROSA – 21h (Espaço aberto a partir das 20h)
Data: 21 de janeiro de 2022
Letieres Leite Quinteto – Homenagem a Letieres Leite
Valor: R$ 50,00 (inteira) e R$ 25,00 (meia-entrada), vendas pelo sympla
Data: 28 de janeiro de 2022
Gafieira do Padre – Luiz Brasil & banda
Valor: R$ 50,00 (inteira) e R$ 25,00 (meia-entrada), vendas pelo sympla
CASA ROSA EM FESTA – 21h (Espaço aberto a partir das 20h)
Data: 22 de janeiro de 2022
Jussara Silveira & Luiz Brasil
Valor: R$ 80,00 (inteira) e R$ 40,00 (meia-entrada), vendas pelo sympla
Data: 29 de janeiro de 2022
Lazzo Matumbi
Valor: R$ 80,00 (inteira) e R$ 40,00 (meia-entrada), vendas pelo sympla
DOMINGÃO NA CASA ROSA – a partir das 13h
Data: 23 de janeiro de 2022
Mazzo e DJ Roger
Valor único: R$ 100,00 com almoço, vendas pelo sympla
Data: 30 de janeiro de 2022
Luciano Bahia e DJ El Cabong
Valor único: R$ 100,00 com almoço, vendas pelo sympla
 
Fotos: Divulgação. Siga o insta @sitealoalobahia.
 

NOTAS RECENTES