RICO QUE É RICO...

Não dá bandeira Fala muito pouco Parece blasé- mas nem sempre é Cuida do corpo, é muito “saúde” Vive preocupado com a dieta e tem sempre uma nutricionista para indicar Tem sempre ao lado uma mulher magra Está sempre lendo um livro que mistura negócios com budismo ou filosofia Preocupa-se com a educação dos filhos Só tem tempo para pensar em dinheiro Tem sempre ao lado uma mulher com joias vintage – pavês, cascatas ou brilhantes, muito raramente Viaja de jatinho para Fernando de Noronha e leva um sushiman estrelado Leva seu chef de cozinha do Brasil em suas viagens de barco fora do país Não leva jamais o vinho para o restaurante: ou manda antes ou chama o chef para cozinhar em casa para os amigos Se veste simples, de um jeito básico, nunca com marcas visíveis a olho nu Não usa perfume, mas se usa, é muito leve Dorme com roupas confortáveis, mas sempre em um bom lençol egípcio com milhões de fios Quando viaja em voo de carreira, de primeira classe, claro, não come nem bebe nada – só agua – e leva sua própria manta para se cobrir – Hermès ou Louis Vuitton Corta o cabelo em barbeiro – ou leva o cabelereiro para cortar em casa Tem peças de herança de família – Se for homem, móveis; se for mulher, joias Tem um quadro doméstico diferenciado e olho clínico para contratar quem vai trabalhar com ele Tem sempre uma fiel cozinheira e um fiel motorista Mora em casa sutilmente perfumada, assim como a roupa de cama Usa toalhas de praia ou piscina da Hermès – as lisas Quase nunca dá festa em casa. Só recebe para pequenos jantares     Publicada na Revista Poder, de Joyce Pascowitch/ Foto: Reprodução.  

NOTAS RECENTES