26 Jul 2021

Relembre a trajetória do joalheiro Carlos Rodeiro, que morreu nesta segunda-feira (26)

Relembre a trajetória do joalheiro Carlos Rodeiro, que morreu nesta segunda-feira (26)
O joalheiro baiano Carlos Rodeiro, que morreu nesta segunda-feira (26), em Salvador, em decorrência de um tumor no cérebro, foi um dos mais destacados e criativos designer de joias do país. Ao longo dos últimos anos, diversas criações suas estiveram em novelas da TV Globo, como Insensato Coração e Segundo Sol.     
    
Durante quase quatro décadas de atuação, Rodeiro conquistou uma clientela fiel e disseminou pioneirismos no comércio de luxo e na divulgação da Bahia para todo o Brasil. Chegou a ter uma vila de lojas com seu nome, a Villa CR, na Bahia Marina.       
    
 Carlos Rodeiro entrou para o ramo da joalheria aos 16 anos e se destacou no competitivo mercado pela criatividade de suas peças, que uniam design contemporâneo à elementos religiosos. Um dos seus clássicos é a pulseira do Senhor do Bonfim, trabalhada em ouro e brilhantes. A peça, inspirada na fita do Senhor do Bonfim, caiu nas graças de celebridades internacionais, como as princesas Caroline e Stéphanie de Mônaco.      
      
Em 2018, Madonna comemorou seu aniversário de 60 anos, no Marrocos, usando um colar do joalheiro baiano que trazia um mix de pingentes, o Sagrado Coração e santos católicos. No ano seguinte, a rainha do pop usou novamente a joia em uma festa pós-Oscar.      
      
Fora da badalação, Rodeiro era uma pessoa conhecida pela solidariedade. “A vida inteira, eu me preocupei em ajudar tanto os amigos que passavam por alguma dificuldade quanto instituições de caridade”, disse o joalheiro que, durante a pandemia, intensificou o auxílio com doações, além de manter todos os funcionários, inclusive seus ourives. “Foi minha prioridade”, revelou ao Alô Alô Bahia.  
carlosrodeirohomenagemmorreu-alo-alo-bahia
  Fotos: Alô Alô Bahia. Siga o insta @sitealoalobahia.
  

NOTAS RECENTES