Quatro lições para aprender indo ao Restaurante Benedita

Gabriela Cruz é jornalista, ilustradora e escreve para o Alô Alô Bahia. 

Do vazio afetivo também pode nascer algo inspirador. Esse é o primeiro aprendizado que recebe quem visita o Restaurante Benedita, na Pituba. O lugar criado por Emanuele Nascimento é um misto de gastronomia apurada e boas recordações. Neta de uma mulher inspiradora, inclusive na cozinha, a chef uniu em seu repertório extremamente técnico e sofisticado muito do que aprendeu na infância com dona Benedita. O gosto pela comida regional, farta - para não deixar ninguém sair com fome da mesa – influenciou nas escolhas dos pratos que compõem o menu exclusivo e na atmosfera do lugar. 
Whats-App-Image-2021-10-03-at-08-39-45-1 Prestes a inaugurar o restaurante especializado em carnes e comida regional com o nome de Rainha do Cupim - o mesmo do projeto que, durante a quarentena, deu visibilidade ao seu delivery de assados -, Emanuele foi surpreendida com o falecimento de dona Benedita. Da perda veio a ideia: por que não fazer uma homenagem à mulher que tanto a inspirou no amor pelo bem servir? “Com a morte da minha avó, na minha cabeça ficou ainda mais claro que a Rainha do Cupim já estava no caminho para ser Benedita. Os clientes notavam que a comida era caseira, com cheiro e tempero de casa de vó. O Benedita traz toda a referência de minha infância, da magia da cozinha da família, razões pelas quais eu me apaixonei pela gastronomia”, conta a chef.
243213602-1221433701664757-2188937696253372641-nO prato mais famosos da casa chama Benedita
 
O segundo aprendizado é saber valorizar sua trajetória. Além do menu e do nome no letreiro, dona Benedita está presente na decoração. Em particular, sua história de amor - que durou mais de 60 anos e começou com a troca de cartões postais entre a jovem, que morava em Canavieiras, e seu noivo, Carmelito Bernardo, que vivia na capital baiana. De 1951 a 1959, ela recebeu postais com imagens da cidade em que iria morar sempre acompanhados por mensagens românticas do futuro marido. Muitos destes, com fotos da Salvador antiga e textos apaixonados – alguns escritos em códigos –, além de uma foto do casal na época, estão expostos no corredor que liga os dois salões do restaurante.

Whats-App-Image-2021-10-03-at-08-39-45-2Postais contam uma história de amor 
 
O terceiro aprendizado é dar valor aos ingredientes considerados menos nobres, como coração de galinha, rabada, quiabo ou jiló. Depois de passarem pela mente criativa e altamente treinada de Emanuele, considerada uma das chefs assador mais respeitadas do país, tudo se transforma em uma experiência única de sabores, sem falar a apresentação primorosa e sofisticada dos pratos. Do bolinho de rabada ao cupim ao camarão – passando pelo quiabo frito (de comer rezando), o cardápio reúne pratos de memória afetiva. “Uma comida para fazer feliz”, resume Manu.

240810128-323258326222238-8147871384405385260-nManu com dona Benedita: amor pela gastronomia
 
O último aprendizado é prático. Emanuele ministra aulas de níveis variados tanto para quem quer fazer sucesso no churrasco do fim de semana com familiares e amigos quanto para aquelas pessoas que buscam empreender. Na agenda de cursos estão os de Açougue Profissional (próxima turma em 23 e 24 de outubro), o de Churrasco Completo (em 7 de novembro) e o de Churrasco de Frutos do Mar (21 de novembro). Estes dois últimos acontecem na varanda interna do Benedita (Rua Minas Gerais, 508, Pituba). Para saber mais: www.emanuelenascimento.com.br.

Fotos: Divulgação. Siga o insta @sitealoalobahia

NOTAS RECENTES