Professor de História e comediante baiano apresenta série sobre 2 de Julho recheada de humor

Carolina Cerqueira é jornalista, mestranda em Comunicação e Cultura Digital e escreve para o Alô Alô Bahia

A Bahia comemora neste domingo (2) o Bicentenário da Independência do Brasil na Bahia. Para marcar a data, o professor de História e comediante baiano Matheus Buente, junto com o Grupo Metrópole, produziu e apresenta uma série especial no YouTube e no Instagram contando os principais acontecimentos e curiosidades da data de uma forma descontraída e engraçada. 

São 12 episódios que têm de treta entre pai e filho a telefone sem fio. Confira os vídeos de cada um deles:

EPISÓDIO 1 - 

Para começar, Buente parte da treta de D. Pedro I com o rei D. João VI, pai dele. A confusão deu no rompimento do príncipe regente do Brasil com Portugal, ao bradar o icônico “independência ou morte!”. Só que, para a surpresa geral da nação brasileira dos dias de hoje, aquele quadro famoso que retrata o momento do grito de independência não passou de uma fake news às antigas. A cena foi bem menos cinematográfica do que se vê ali.
 
EPISÓDIO 2 - 

Dessa vez, Buente conta como a freira Joana Angélica se tornou mártir para a Bahia, e como tudo se deu em meio ao caos, invasões e com o golpe em 1821, quando Madeira de Melo, que era contra a independência, tenta tomar posse como governador de armas.
 
EPISÓDIO 3 - 

O historiador Matheus Buente e a professora Naiara Natividade (@naiara__natividade) nos contam como Maria Quitéria foi parar no Exército Brasileiro e se tornou uma figura muito importante para a guerra.
 
EPISÓDIO 4 - 

Salvador ainda estava sob total domínio de Portugal um mês antes de 2 de julho de 1823. Mas, durante uma procissão a São José, os baianos resolveram cair de pedrada em cima dos portugueses. Do outro lado da contenda, Madeira de Mello pegou ar e devolveu com mais violência. Então, o recôncavo começou a engrossar o cangote pra cima dos colonizadores. Até aí, “tudo bem”. Só que Cachoeira, já toda metida a capital da Bahia, mandou o recado a Salvador de que não cumpriria mais ordem nenhuma! E a zorra inchou!
 
EPISÓDIO 5 - 

Matheus Buente e Naiara Natividade contam como o general Pierre Labatut – ou Pedro, para os chegados – desembarcou na Bahia para organizar o baba! Ou melhor, as tropas baianas. O mercenário assumiu o comando dos nossos combatentes negros e tupinambás (ou seja, um bocado de capoeirista virado na zorra!), para enfrentar o exército português com os seus canhões (canhões de tiro, rapaz!). Será que isso prestou?
 
EPISÓDIO 6 - 

De ter, até tem uns dados históricos que podem questionar a existência de Maria Felipa de Oliveira. Mas, venha cá, rapaz… A quem interessa que não tenha vivido na Bahia uma mulher porreta que nem ela? Tudo intriga da oposição, vei! Ex-escravizada, liberta, líder quilombola, marisqueira, capoeirista e participante das lutas pela Independência da Bahia. E ela quis guerra, sim: com os marinheiros portugueses (e safados!) que atracaram na ilha de Itaparica.
 
EPISÓDIO 7 - 

Toquem os atabaques! Quem é? Quem é? É a hora e a vez da gente quebrar e amassar, pai! A épica (lá ele!) Batalha de Pirajá deixou portugueses e pernambucanos azucrinados. Isso porque foram mil e setecentos anônimos baianos contra sete mil militares de com força. Imagine se fosse o contrário... Máximo respeito, Pirajá, Campinas de Pirajá e Alto do Cabrito!
EPISÓDIO 8 - 

Dessa vez, Matheus Buente e Naiara Natividade (@naiara__natividade) contam sobre a história do grupo “Caretas do Mingau”: formado totalmente por mulheres, na região de Saubara, elas eram responsáveis por alimentar os soldados baianos na guerra e tiveram um papel fundamental para fazer um fuzuê na mente dos portugueses!
 
EPISÓDIO 9 - 

No dia 7 de janeiro de 1823, a viola cantou, sem quatchá quatchá, em quase toda esquina itaparicana. Sabe aquele menino João das Botas? Ganhou a batalha na tora! E o povo caiu matando na Fonte do Funil, no Largo da Quitanda, na Fonte da Bica... e por aí vai! Tinha gente se escondendo na areia e os gringos ficaram foi caroara!
 
EPISÓDIO 10 - 

Dessa vez, o professor Matheus Buente conta sobre a “estratégia” adotada pelo General Labatut para tentar frear os avanços dos portugueses, já que não haviam soldados suficientes no exército baiano para vencer a guerra. Além disso, o 10º episódio da série produzida pelo Grupo Metropole também explica a história por trás do monumento do Dois de Julho (Caboclo) - considerado um dos maiores símbolos da Independência da Bahia -, localizado na Praça do Campo Grande.
 
EPISÓDIO 11 - 

Dessa vez, o professor e humorista Matheus Buente explica a formação de um dos bairros mais queridos da capital baiana: a Liberdade. Conheça a história da antiga Estrada das Boiadas, saiba mais sobre o trajeto das tropas pelo Recôncavo e muito mais!
 
EPISÓDIO 12 - 

Último episódio da série 2 de julho explica a história do Hino da Independência da Bahia. O hino do 2 de Julho, composto pelo ex-combatente e poeta Ladislau dos Santos Tita, recebeu o status de hino do 2 de Julho em 1926. Em 2010, foi oficialmente designado como o hino oficial da Bahia.
 

Foto: Reprodução

Leia mais notícias na aba Notas. Acompanhe o Alô Alô Bahia no TikTok. Siga o Alô Alô Bahia no Google News e receba alertas de seus assuntos favoritos. Siga o Insta @sitealoalobahia e o Twitter @AloAlo_Bahia.

NOTAS RECENTES