Notas


18 Out 2019

Prefeitura transformará casarão histórico no Comércio em equipamento cultural

 Prefeitura transformará casarão histórico no Comércio em equipamento cultural  
Bem ao lado do Mercado Modelo, no Comércio, o casarão revestido de azulejos industrializados do século XIX, nas cores azul e branco, que se destacava na paisagem pela degradação sofrida ao longo do tempo, passará por processo de recuperação para, futuramente, se transformar em um verdadeiro espaço de resgate histórico e cultural da cidade, além de valorizar ainda mais o Centro Antigo. A ordem de serviço para o início das obras de restauração do Casarão dos Azulejos Azuis foi assinada nesta sexta-feira (18) pelo prefeito ACM Neto, acompanhado do vice-prefeito e secretário de Infraestrutura e Obras Públicas (Seinfra), Bruno Reis, demais autoridades e imprensa, em cerimônia realizada na Rua Conceição da Praia.
 
O prefeito salientou a importância da restauração do imóvel – um dos mais tradicionais da cidade e que há anos estava em ruínas, que poderá ser aproveitado por moradores e visitantes em futuro próximo. “Aqui vai funcionar um importante espaço cultural para a nossa cidade, dentro dessa estratégia de oferecer produtos para a cultura de Salvador, principalmente no Centro Histórico. O objetivo é de aumentar o fluxo turístico e, é claro, a partir da valorização das nossas tradições, do nosso passado, projetar um futuro de ainda mais crescimento econômico a partir do investimento pesado no turismo da nossa cidade”, afirmou ACM Neto.
 
Conhecido como Casarão Azulejado ou Casarão dos Azulejos Azuis, as intervenções no espaço contarão com investimento de R$ 7,8 milhões, proveniente de financiamento junto à Corporação Andina de Fomento (CAF), através do Programa de Requalificação Urbana de Salvador (Proquali). As obras serão executadas em 12 meses pela Construtora Pentágono, sob a supervisão da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Obras Públicas (Seinfra).
 
A Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secult) é a responsável por elaborar o projeto do equipamento cultural, que terá 1.914,76 m² de área construída, distribuída em quatro pavimentos, sendo um piso térreo e mais três. Os serviços estruturais envolvem o restauro de toda a fachada do edifício e recuperação dos detalhes em massa, além de implantação de elevador e de sistema de ar condicionado. A cobertura será em telha colonial conforme padrão original da edificação e a escada existente será mantida e revestida em piso de madeira.
 
Além do resgate histórico, a iniciativa pretende transformar o local em um espaço destinado à cultura e aberto ao público, aumentando inclusive o potencial turístico da região. Está sendo finalizado um termo de referência junto à CAF para posterior licitação do projeto museológico, que definirá os acervos e conteúdos que serão oferecidos e expostos no casarão.
 
Foto: Max Haack/Secom. Siga o insta @sitealoalobahia.