Pets adotados na pandemia podem apresentar estresse com mudanças na rotina do tutor. Saiba como lidar

redacao@aloalobahia.com

Com a pandemia e as pessoas mais tempo dentro de casa, muitos decidiram que seria o momento ideal para adotar um animal, fazendo a procura por cachorros e gatos em abrigos aumentar até 50%. Este dado seria motivo suficiente para comemorar o Dia dos Animais nesta segunda-feira (4), porém, com o retorno das atividades econômicas, muitos tutores precisam voltar a sua rotina fora de casa e esta mudança pode causar diversos problemas nos animais já acostumados com companhia constante.

Estes animais domésticos sentem a rotina alterada e podem apresentar algumas variações de humor como ansiedade, estresse e tristeza. De acordo com a Médica Veterinária Laise Vasconcelos, os animais sentem a mudança da rotina e podem apresentar alterações em seu comportamento como lamber demais a pata, destruir as coisas dentro de casa, ansiedade com a saída do tutor e agitação excessiva com a chegada do tutor em casa.

“O que aconteceu na pandemia foi uma percepção maior dos donos pelas questões psicológicas dos animais e a procura pelos serviços de adestramento foi absurda, porque a percepção do dono com relação a isso mudou bastante. Se antes o cachorro, por exemplo, ficava mais calmo, agora fica mais agitado e eufórico”, comenta Laise, que também coordena o curso de Medicina Veterinária da Faculdade UniFTC de Itabuna.
 
Repercussão da internet -
os casos de ‘pets da pandemia’ ficaram famosos na internet. Com o título ‘O termo gatinho da pandemia existe e eu posso provar’, o vídeo da @anafavs viralizou no TikTok ao mostrar a mudança de comportamento do seu gato quando ela precisou voltar a trabalhar fora de casa.

Na publicação, Ana relata que adotou um gato no começo da pandemia e que este animal cresceu sem saber que existe uma rotina com a casa vazia. Com o retorno do trabalho presencial, ela começou a reparar que o gato ficava mais estressado e em um dos trechos do vídeo o animal estava esperando por ela miando na garagem.

Para Laíse, apesar de ser menos comum em gatos, estes sinais também podem aparecer nestes animais, principalmente porque gatos possuem mais dificuldades de se adaptarem a uma mudança brusca na rotina.

“Com os gatos pode ser uma via dupla. Pode acontecer do gato já acostumado com a casa vazia se estressar com a presença constante do tutor, como também pode acontecer de um gato acostumado com a presença humana não saber o que fazer com a rotina nova sem esta presença. Não é regra, existem exceções, por isso reforço que o importante é ficar sempre de olho em cada detalhe no comportamento do seu pet para procurar ajuda o mais rápido possível”, comenta a veterinária.
 
O que fazer - Para amenizar os efeitos da mudança de rotina nos pets, Laíse recomenda algumas atividades, principalmente as que envolvem gastar energia dos animais. “Entre as atividades, o tutor pode realizar exercícios com os animais, estabelecer horários fixos de passeio e de dar comida e comprar brinquedos que estimulem os sentidos dos bichos e que possam distraí-los durante o dia. Agora o principal é entender que está lidando com um animal de estimação e não com uma criança, logo as atitudes a serem tomadas precisam ser diferentes do que quando se lida com uma criança humana”, finaliza a especialista.


Foto: Divulgação. Siga a gente no Instagram @sitealoalobahia e no Twitter @aloalo_bahia
 

NOTAS RECENTES