Oscar 2023 não aceitará filmes exibidos apenas no streaming

José Mion é jornalista, assessor de imprensa e escreve para o Alô Alô Bahia.

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, responsável pelo Oscar, informou nesta semana que os candidatos à premiação em 2023, no dia 12 de março, terão que lançar seus filmes também nos cinemas, com exibição em salas selecionadas por pelo menos sete dias consecutivos. Os filmes qualificados não poderão ser exclusivos de serviços de streaming.
 
Na reunião mais recente, as diretrizes para campanhas de premiação - promoções, exibições, contato com membros e hospitalidade - também foram atualizadas, buscando “manter um alto grau de justiça e transparência” na forma como os filmes são promovidos.
 
Entre as novas regras está a de que “nenhum material promocional, ou qualquer coisa de valor, pode ser dado aos membros em exibições” e que “as exibições não podem incluir recepções, entretenimento, comida e bebida de cortesia”. Ou seja, zero jabá após as indicações e até o encerramento das votações.
 
A Academia reiterou ainda que os membros devem tomar decisões “baseadas apenas nos méritos artísticos e técnicos dos filmes”, sendo a desqualificação, suspensão ou expulsão da organização as consequências possíveis da violação dessas diretrizes.
 
Foto: Bryan Bedder/Getty Images. Também estamos no Instagram (@sitealoalobahia), Twitter (@Aloalo_Bahia) e Google Notícias.

NOTAS RECENTES