23 Jun 2019

Líder religioso baiano será enredo da Grande Rio no Carnaval 2020

Líder religioso baiano será enredo da Grande Rio no Carnaval 2020 João Alves de Torres Filho, nascido em Inhambupe, interior da Bahia, em 1914 - mais tarde batizado Joãozinho da Goméia ao se fixar na baixada fluminense, no Rio de Janeiro – foi um dos maiores líderes religiosos do país e terá sua história traduzida em samba e enredo pela Grande Rio no Carnaval 2020.
 
Homossexual assumido, o negro de personalidade forte fez sua despedida de Salvador em alto estilo, em 1948, quando apresentou ao público pagante no Teatro Jandaia um espetáculo com danças típicas do Candomblé – um escândalo para a época.
 
Já no Rio de Janeiro, instalado na Rua da Goméia – endereço incorporado ao nome -, recebia em seu terreiro políticos, embaixadores, artistas, aguçando a curiosidade da imprensa, que noticiava cada vez mais as excentricidades do pai de santo. Getúlio Vargas e Ângela Maria, a Rainha do Rádio, eram frequentemente vistos por lá. Sua figura foi, inclusive, inspiração para o humorista Chico Anysio criar o personagem “Painho”, um marco na carreira de Chico.
 
Sua morte, em 1971, não poderia ser mais apoteótica, com episódio narrado pela revista O Cruzeiro. Foi sepultado no cemitério de Duque de Caxias, quando uma chuva de proporções míticas desabou sobre o Rio de Janeiro exatamente na hora que o caixão baixava à sepultura e com muitos presentes incorporando santos. O cenário foi descrito como uma manifestação de Iansã recebendo seu filho.
 
Agora, a Grande Rio se prepara para juntar surdos e tamborins a atabaques e agogôs para homenagear o Rei do Candomblé, uma das figuras mais emblemáticas do bairro de Caxias. O samba enredo será distribuído pelos carnavalescos Leonardo Bora e Gabriel Haddad na próxima quarta-feira, às 20h, na sede da agremiação.
 
Foto: Fundação Pierre Verger. Siga o insta @sitealoalobahia.