Brasil terá pílulas anti-covid da MSD em outubro

redacao@aloalobahia.com

 Os medicamentos antivirais, em pílulas, contra Covid-19 chegarão ao Brasil nas próximas semanas. O Ministério da Saúde informou ao GLOBO que assinou o contrato para compra de tratamentos Paxlovid, da Pfizer, e que as primeiras remessas devem desembarcar no país "nas próximas semanas". A pasta não fala em quantidade, mas médicos que conhecem no processo já relataram que há a possibilidade que sejam 100 mil tratamentos, nesse primeiro acordo.
 
A Pfizer, por sua vez, não dá datas e diz que a previsão de chegada é "em breve".
A farmacêutica MSD, responsável pelo Molnupiravir — outro antiviral — não recebeu o aval para entrar no SUS e deve chegar ao país, neste primeiro momento, por meio de outro mecanismo: a oferta para iniciativa privada, em farmácias, hospitais e clínicas.
 
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que concedeu autorização de uso emergencial ao medicamento informou por meio de nota que “a autorização de uso emergencial pela Anvisa para medicamentos no âmbito da Covid-19 é feita preferencialmente para o uso em programas públicos. No entanto, não há restrição para o uso destes medicamentos pela rede privada”.
 
Mario Ferrari, executivo da MSD, explicou que a empresa seguirá com o plano de inclusão do medicamento do SUS — embora recusado na Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde (Conitec), responsável por esse aval — a ideia para chegar no sistema é entrar com um recurso pedindo a reavaliação. A MSD tem um acordo firmado com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) para a produção do medicamento no país, para abastecimento da rede pública.
 
 

NOTAS RECENTES