Ato interreligioso finca 600 cruzes no Farol da Barra em memória às 600 mil vítimas da Covid

Com informações do Jornal CORREIO

Movimentos sociais e sindicais realizaram nesta sexta-feira (1), um ato interreligioso no Farol da Barra, em repúdio às mais de 600 mil mortes ocorridas durante a pandemia. De acordo com organizadores, "são mortes poderiam ter sido evitadas se o presidente do nosso país não tivesse adotado atitudes que contrariassem as recomendações da OMS e outros órgãos, desprezando a gravidade da pandemia".

Foram fincadas 600 cruzes e 250 velas foram acesas em memória às pessoas que morreram durante esse período. Segundo Walter Takemoto, do Campanha Nacional da Frente Brasil Popular, o ato é um repúdio ao descaso do governo, que teve "responsabilidade direta pelo negacionismo". O Padre Cícero de Oliveira, da Igreja São João Bosco, de Pau Miúdo, e o Pastor Joel Zeferino, da Igreja Batista de Nazaré e Mãe Márcia, ialorixá, estiveram presentes no ato.

Os representantes das religiões fizeram uma fala de 15 minutos a partir do que cada religião entende sobre o que está acontecendo no Brasil. Amanhã, haverá novo ato do grupo contra o governo federal no Campo Grande.

Foto: Paula Froes/Correio. Siga o insta @sitealoalobahia.

NOTAS RECENTES