Entrevistas


30 Mar 2017

Alô Alô Bahia entrevista o chef Fabricio Lemos, do restaurante Origem

Alô Alô Bahia entrevista o chef Fabricio Lemos, do restaurante Origem Esta semana, Alô Alô Bahia viajou para o mundo da gastronomia e convidou Fabricio Lemos para um rápido bate-papo. Fabricio é considerado – com razão – um dos melhores chefs da Bahia e está comandando o restaurante Origem, na Alameda das Algarobas, onde estimula  a cozinha inventiva e sofisticada. Abaixo, confere nossa conversa! 


Fabricio Lemos e Lisiane Arouca. 

Alô Alô Bahia - Onde você aprendeu a cozinhar?

Fabricio Lemos - A vida se encarregou de mostrar o caminho. O primeiro contato com a cozinha foi ainda pequeno ajudando a minha mãe e minha avó na preparação de festas e almoços. Meu papel era pegar os vegetais na geladeira. Sempre fui curioso e perguntava bastante para minha mãe como ela fazia  a comida. Quando completei 18 anos, fui morar nos EUA e tive que me  virar para sobreviver. Meu primeiro trabalho por lá foi lavando prato.  Depois de anos tive a oportunidade de aprender a cozinhar profissionalmente em virtude do desligamento de um cozinheiro. Após 3 anos cozinhando profissionalmente, fui buscar algo mais concreto e foi aí que apareceu o Le Cordon Bleu - me formei e vi que na carreira de cozinheiro o aprendizado é diário. Logo, eu ainda estou aprendendo.

Alô Alô Bahia - Você tem viajado muito por conta de suas pesquisas. Qual uma experiência mais marcante?

Fabricio Lemos - Viajar é necessário para a formação de um bom cozinheiro. Quantos mais ingredientes e técnicas você conhecer, mais motivante torna-se a carreira. A experiência mais marcante foi no Peru. Conheci o IK Restaurante, localizado em Lima. Me marcou pois o Chef faleceu antes  de abrir o restaurante. Estavam ainda em período de finalização da construção do restaurante, quando o chef Ivan sofreu um acidente automobilístico e veio a falecer.  A família deu continuidade ao projeto e inaugurou o restaurante. Quando soube da historia eu estava jantando no restaurante e fiquei chocado, pois o  chef antes falecer deixou todas as fichas técnicas e receitas prontas. Isso me marcou e emocionou. Pois além da comida ter sido executada perfeitamente, o grande legado de um grande chef é fazer com que seu restaurante funcione sem sua presença.
 
Esse chef utilizou todas as ferramentas necessárias para abrir um restaurante de sucesso que infelizmente não vemos na maioria dos restantes que conhecemos em nossa cidade. Ou seja, antes abrir ele projetou, criou e treinou sua equipe.


Fabricio Lemos e equipe do restaurante Origem.

Alô Alô Bahia - Quais seus pratos preferidos no Origem ?

Fabricio Lemos - Gosto de todos (rs).Mas tem um que me emociono quando como,  pois  lembro da época que eu vendia arroz na Feira da Cidade e Boa Praça  (onde tudo começou). É o Arroz Nordestino que leva Carne de Panela,  purê de aipim, arroz enriquecido com chouriço, banana da terra,  farofa de tapioca e crispy de batata. Hummmmm!

Alô Alô Bahia - Depois do Origem, qual seu próximo desafio? Algum sonho ainda por realizar?

Fabricio Lemos - O Origem ainda é um bebê que merece ainda cuidado e atenção.  Mas tenho um sonho de montar um restaurante que funcione somente no almoço. O conceito seria uma comida muito confortável, que  alegrasse alma e acalmasse o coração.


Alö Alö Bahia - Em Salvador, quais são seus restaurantes prediletos?

Fabricio Lemos- Dijalma Drinks (Localizado na Rua Minas Gerais) - adoro a Salada de Siri e o Abará da Dadá,  Bode do Nei ( Localizado na Pituba),Bravo (The best burger ever), Al Mare (Adoro um camarão que fazem no happy hour), Amado (experiência completa de um Menu excelente com uma linda paisagem),Paraiso tropical (conjunto obra e criador) e Pedra Puã (simplesmente cheio de personalidade). 


Fotos: Reprodução. Siga o insta @sitealoalobahia.