Entrevistas


04 Abr 2018

Alô Alô Bahia entrevista arquiteto Caio Bandeira

Alô Alô Bahia entrevista arquiteto Caio Bandeira O arquiteto, urbanista e designer baiano Caio Bandeira, sócio-fundador do escritório Architects+Co, conversou com o Alô Alô Bahia e falou sobre arquitetura, novos projetos e tendências na área. Confere só!


Alô Alô Bahia: O que a arquitetura significa pra você?

Caio Bandeira: Arquitetura é a concretização de sonhos no espaço e “tempo”.
 
Alô Alô Bahia: O que podemos esperar de novidades do seu trabalho? Quais são os atuais e próximos projetos?

Caio Bandeira: Nos próximos cinco anos o escritório vai surpreender em muitas áreas do urbanismo, arquitetura e design. Fizemos um concurso nacional de urbanismo sustentável e ficamos em terceiro lugar, com uma banca composta de grandes nomes internacionais e da Bahia, competindo com mais de 30 escritórios de todo o Brasil. Atualmente, estamos atendendo o mercado de casas de praia e casas de campo de forma mais marcante, mas estamos lançando alguns prédios, escolas, lojas comerciais, etc, de forma lenta devido às aprovações nos órgãos legais.

Nosso grande diferencial no urbanismo e na arquitetura é o conhecimento e a paixão pelo design de interiores que abrange o design de moveis e a decoração “conceitual”. Estamos desenvolvendo alguns apartamentos conceituais, que serão publicados ainda esse ano, acredito muito no conceito de “gallery house”, onde a obra de arte é estudada em simbiose com os espaços da casa.
 
Alô Alô Bahia: Tem algum sonho profissional que você ainda não realizou?

Caio Bandeira: O sonho profissional é poder representar a Bahia no mundo com muita qualidade e reconhecimento. O baiano tem uma magia que é inexplicável, talvez a sua relação de amor com a natureza leve muita arte pro seu trabalho.
 
Alô Alô Bahia: O que você enxerga como tendência na área da arquitetura atualmente? O que a Bahia e São Paulo têm feito de bacana nessa área?

Caio Bandeira: Vejo que o “design industrial” é a tendência na arquitetura, uso de elementos compositivos que são arrojados.  A casa pode ter 2 aguas de telhado igual a casa de nossos tataravós, mas ela vai “flutuar do chão” e sua luz vai atrair o olho humano igual uma “estrela” que enfeitiça.

Com isso, São Paulo deu espaço para grandes designers internacionais e a Bahia também, tanto Salvador como Trancoso. Assim, os profissionais brasileiros tiveram a oportunidade de mostrar que são tão bons ou melhores do que qualquer outro. Tanto que grandes escritórios de SP e da Bahia estão com trabalhos internacionais nesse momento. Antes, eram trabalhos pontuais de arquitetos como Oscar N. e Paulo Mendes da Rocha, por exemplo. Agora, popularizamos, o mundo está com a arquitetura globalizada.