Hotelaria de Salvador registra primeiro semestre com maior índice de ocupação pós pandemia

Hotelaria de Salvador registra primeiro semestre com maior índice de ocupação pós pandemia

Redação Alô Alô Bahia

redacao@aloalobahia.com

Brenda Alves

Redes Sociais/ Hotel Fera Palace

Publicado em 10/07/2024 às 13:16 / Leia em 3 minutos

Salvador encerrou o primeiro semestre com ocupação média de 59,86%, maior índice para o período nos anos após a pandemia, mas ainda levemente inferior aos 61,55% registrados em 2019. De acordo com pesquisa realizada pela Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH) e enviada para o Alô Alô Bahia, um expressivo aumento ocorreu com a diária média da rede hoteleira, que encerrou o semestre em R$ 651,15, crescimento de 122% em relação ao mesmo período de 2019 e de 19,5% em relação a 2023. A valorização das tarifas e diárias médias da rede hoteleira soteropolitana tem sido uma constante ao longo dos últimos dois anos, e essa tendência se confirmou novamente neste primeiro semestre. 

Segundo o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis – Regional Bahia (ABIH-BA), Wilson Spagnol, a hotelaria encerrou o primeiro semestre com números muito positivos. Ele comenta ainda sobre a expectativa para o mês de julho na cidade: “Em julho teremos o desafio de tentar alcançar taxa de ocupação similar ao ano passado, que foi o melhor resultado de julho dos últimos 12 anos, com uma taxa de 63,95%. Com as férias escolares, a demanda neste mês sempre cresce em relação ao segundo trimestre do ano, tradicionalmente de baixa temporada. A nossa expectativa é que tenhamos ocupação superior a 60% na cidade, com uma expressiva valorização da diária média novamente”, afirma o presidente da entidade.

Sobre o mês de junho – A rede hoteleira de Salvador registrou no mês de junho uma ocupação média de 52,89%, resultado superior aos 47,11% do mesmo período de 2023. Em baixa estação, a ABIH acredita que os bons números tem relação com a agenda de eventos e congressos que aconteceram na cidade, contribuindo para impulsionar o fluxo turístico, somando-se ao turismo de lazer. Isso porque a ocupação dos dias de semana superou levemente os sábados e domingos, e alguns dias específicos registraram picos de ocupação média acima de 65% na cidade, acompanhado de aumento das diárias médias nessas datas devido ao aumento de demanda agregada na cidade.

Ainda segundo os dados da ABIH, a diária média em junho ficou em R$ 547,37, o que representa um crescimento de 17,4% em relação a junho do ano passado. Como resultado, o Revpar, indicador que representa a receita diária por apartamento disponível, cresceu 32% na base comparativa anual, alcançando R$ 289,52.

Alô Alô Bahia no seu WhatsApp! Inscreva-se

Compartilhe