Dia no cinema brasileiro: streamings oferecem seleção especial de filmes nacionais

Dia no cinema brasileiro: streamings oferecem seleção especial de filmes nacionais

Redação Alô Alô Bahia

redacao@aloalobahia.com

Luiza Gonçalves para o Correio*

Reprodução/Unsplash

Publicado em 19/06/2024 às 15:13 / Leia em 4 minutos

Nesta quarta-feira (19), comemora-se o Dia do Cinema Brasileiro, data que festeja a criatividade, as produções inesquecíveis e os mais de 100 anos de história da sétima arte no Brasil.

A data remete aos registros das primeiras imagens cinematográficas realizadas no país, em 19 de junho de 1898, por Afonso Segreto, considerado o primeiro cineasta nacional.

Seguindo as comemorações anuais do cinema brasileiro e celebrando sua diversidade, nesta quinta-feira, a plataforma de streaming Netflix incluiu no seu catálogo uma coleção de filmes chamada Simplesmente Cinema Brasileiro. A seleção contém 22 títulos, abrangendo produções contemporâneas aclamadas pela crítica, filmes populares em diversos gêneros e documentários renomados de diretores, como Walter Salles (Central do Brasil); Nelson Pereira dos Santos (Rio 40 Graus); Eduardo Coutinho (Jogo de Cena) e Kleber Mendonça Filho (Aquarius).

Na lista, também está Sem Coração (2023), que tem direção de Nara Normande e Tião. Um dos admiradores do filme é o diretor baiano Eduardo Tosta, diretor do curta Camaleoa, selecionado para uma mostra dentro do Festival de Cannes no ano passado. “Sem Coração me marcou e eu acho muito importante que ele tenha saído de um circuito de festivais, entrado no circuito de cinemas e agora no streaming, porque ele trata da juventude nordestina, de um traço identitário muito forte e também fala sobre amadurecimento de uma maneira muito delicada”, revela o cineasta. Para Tosta, um dos destaques Sem Coração é a direção de arte, além de ser um “filme para a juventude”.

Ele também indica Jogo de Cena, destacando a importância do diretor na maneira palpável e criativa de fazer retratos sociais que conversam com o indivíduo global. “No Jogo de Cena, eu acho muito interessante como ele traz o que é realidade, o que é ficção e como tudo se mistura em algum momento. É quase uma metalinguagem sobre cinema. Eu acho um dos melhores documentários já feitos, se é que podemos chamar somente de documentário”, pontua.

Investimento

No ano passado, a Netflix anunciou um investimento de R$ 1 bilhão em produções no Brasil até o final de 2024, em filmes e séries originais Netflix Brasil, como Biônicos, thriller distópico lançado em maio com Bruno Gagliasso no elenco, e projetos em desenvolvimento, como a adaptação de O Diário de Um Mago, de Paulo Coelho. A coleção Simplesmente Cinema Brasileiro integra as iniciativas, homenageando as produções já existentes.

“Aspiramos ser o lar de uma variedade de filmes brasileiros de qualidade para as mais diversas audiências. Nossa oferta deve representar todo o potencial criativo, riqueza e diversidade do cinema nacional e contribuir para a formação de um público apreciador de filmes feitos no Brasil”, diz Gabriel Gurman, diretor de Filmes da Netflix no Brasil.

Uma outra dica para quem quer entrar no clima comemorativo desta quinta e aproveitar para maratonar clássicos como A Hora da Estrela (1985), Bye Bye Brasil (1979) e O Que É Isso, Companheiro? (1997) é o Brasiliana TV, novo canal de streaming do grupo Curta!, com conteúdo 100% nacional. A plataforma possui mais de 460 títulos, entre filmes e séries, gratuitamente para assinantes PayTV da Claro e disponível para clientes de banda larga da Claro por R$ 9,90 ao mês.

Para quem é fã do cinema nacional, há ainda um streaming gratuito dedicado exclusivamente à produção brasileira: o Itaú Cultural Play, que foi criado há exatos três anos e tem cerca de 360 títulos, entre longas e curtas. Para celebrar o aniversário, a plataforma dá início à Mostra Comemorativa, que tem títulos como Ganga Bruta, de Humberto Mauro; O Ébrio, de Gilda Abreu e O Dia de Jerusa, da baiana Viviane Ferreira, que dirigiu Ó Paí Ó 2.

Alô Alô Bahia no seu WhatsApp! Inscreva-se

Compartilhe