Notas


03 Dez 2018

Fotógrafo francês espalha rostos baianos em muros de Salvador

Fotógrafo francês espalha rostos baianos em muros de Salvador Num bairro, numa comunidade, numa cidade, diferentes identidades se cruzam cotidianamente. Um fotógrafo francês sai em busca de pessoas em sua rotina, e lhes faz retratos em preto e branco. Este é o projeto “Mostre-se”, de Hugues Anhes, artista que usa a fotografia como um meio que permite que os sujeitos se revelem, encontrando nas intimidades também aquilo que é universal.
 
 Os registros são então impressos em grandes dimensões, como lambe-lambe, colados sobrepostos em muros e paredes, e depois arranhados, revelando rostos distintos como se fossem um só.
 
Desde 2016, ele vem viajando por diferentes lugares do mundo realizando esta empreitada. Agora, ele está encontrando e exibindo novos rostos em Salvador, como residente do Programa de Residência Artística Vila Sul do Goethe-Institut Salvador-Bahia, em parceria com a Aliança Francesa Salvador e apoio do Deutsch-Französische Kulturfonds.
 
Desde meados de outubro, Hugues fez sessões de fotografias em lugares como a Estação da Lapa, a Universidade Federal da Bahia (UFBA), a unidade feminina da Penitenciária Lemos de Brito, os bairros de Dois de Julho e Plataforma, entre outros.
 
Já montou colagens no bairro do Campo Grande, na Rua Carlos Gomes, no Pelourinho e na própria sede do Goethe-Institut. Nos próximos dias, a agenda de construção de instalações seguirá no Centro Cultural Plataforma e outros muros do bairro, Penitenciária Lemos de Brito, Teatro Vila Velha, EcoSquare no Rio Vermelho e outras escolhas a serem definidas.
 
Foto: Divulgação. Siga o insta @sitealoalobahia.