Entrevistas


22 Jan 2018

José Rotondano, presidente do TRE-BA, fala sobre a operação do recadastramento biométrico em Salvador

José Rotondano, presidente do TRE-BA, fala sobre a operação do recadastramento biométrico em Salvador Com a proximidade do fim do prazo para o recadastramento biométrico, o Presidente do Tribunal Regional Eleitoral da Bahia, José Rotondano, faz um balanço sobre a operação ao Alô Alô Bahia. 


Alô Alô Bahia: A que o senhor atribui esse cenário onde a grande parte dos eleitores deixou para se recadastrar perto do fim do prazo? Estava dentro do planejamento que essa quantidade de pessoas procurasse o serviço agora no fim do mês?

José Rotondano: De dois em dois anos, quando ocorrem as eleições, o cidadão que possui pendências junto à justiça eleitoral normalmente deixa para regularizar às vésperas do prazo de alistamento, que se encerra 150 dias antes do primeiro turno de votação.  Atribuo, portanto, a esse hábito, acrescido pelas atribuições do dia a dia que tanto nos absorvem. Nessas ocasiões, soma-se, ainda, a presença dos alistandos, o que implica, naturalmente, em filas extensas. A despeito de disponibilizarmos toda uma estrutura apta para receber o eleitor, e contarmos, sempre, com a parceria indispensável da imprensa para minimizar os transtornos, a situação se repete.

Particularmente em relação à biometria extraordinária, temos plena consciência do impacto no atendimento, considerando o grande eleitorado de Salvador. Como a própria impressa se esmerou em divulgar, disponibilizamos desde o início do ano de 2017 diversos pontos de atendimento, contando com a parceria de instituições públicas e privadas que dispuseram espaço e pessoal, sem qualquer custo para a Justiça Eleitoral. Facultamos também o agendamento por meio de nossa página eletrônica como mais uma forma de acesso, sem, contudo, penalizar as inúmeras marcações feitas sem o respectivo comparecimento. Além do mais, o edifício sede do TRE-BA estava à disposição do eleitorado baiano em horário bem extenso. Apesar das filas no início da manhã, até o mês de dezembro, em vários horários, os kits de biometria ficavam ociosos a espera do eleitor, a despeito das reiteradas e insistentes chamadas na impressa e em todos os veículos de comunicação disponíveis.

Bom ressaltar que quase a totalidade da área de atendimento é coberta e é fato que todos os cidadãos são muito bem recebidos e atendidos pelo corpo de funcionários e de todo o pessoal  contratado para esta finalidade. Recebemos sempre um feedback positivo ao final do atendimento , o que reforça o nosso sentimento de satisfação.

Alô Alô Bahia: Segundo divulgado pelo TRE-BA na segunda-feira, 15, mais de 800 mil cidadãos de Salvador ainda não se recadastraram. Existe infraestrutura  de atendimento viável para que todas essas pessoas atualizem seus dados até o dia 31?

JR: Se mantivermos a média de atendimento, alcançaremos, sim, ao final do mês de janeiro uma marca significativa e relevante de cerca de 1.400.000 de eleitores biometrizados em Salvador com a infraestrutura que dispomos, que tem se mostrado eficaz, mesmo com essa procura tardia do eleitor. Atendemos, costumeiramente, todos que permanecem nas filas e esperamos o comprometimento do eleitor e o apoio da sociedade e de todas as instituições cidadãs. Seríamos desleais em informar que teremos um percentual de 100% de atendimento, até porque muitos eleitores não mais residem nos municípios, já faleceram, ou ingressaram em uma situação de impedimento de exercer o direito ao voto. Importantíssimo, ainda, salientar que a média de ausências às urnas em todas as eleições ultrapassa a marca de 25% do eleitorado, o que seria, em números, em torno de 500,000 eleitores. Continuaremos imbuídos de nosso objetivo, considerando, principalmente, o fato de que esse cadastro servirá de base para outros serviços públicos de identificação do cidadão, e que proporcionará a toda a sociedade um maior controle e prevenção de fraudes contra pessoas e organizações.

Alô Alô Bahia:  Foi recebida alguma denúncia formal sobre a venda de lugar na fila da biometria por parte de funcionários do TRE-BA? Houve alguma medida preventiva ou corretiva com relação a isso?

JR: A esta Presidência não chegou tal denúncia. Caso aconteça, todas as medidas de ordem administrativa e penais serão tomadas imediatamente. É imprescindível ressaltar que denúncias deverão ser  acompanhadas de prova.

Alô Alô Bahia: Segundo relatos divulgados, alguns eleitores acabavam desistindo e vendendo o seu próprio lugar na fila. Qual a opinião do senhor sobre isso?

JR: Caso isto esteja realmente acontecendo, revela um comportamento lamentável de algumas pessoas perante a sociedade.  Triste constatar que há quem faça esse tipo de proposta e há quem aceite.

Alô Alô Bahia: Com a proximidade do fim do prazo, qual o balanço o senhor faz sobre a operação do recadastramento biométrico em Salvador?

JR: Faço um balanço positivo, apesar de tantos percalços, se considerarmos todos os fatores envolvidos em uma operação desta magnitude. Como disse anteriormente, proporcionamos ao eleitor todas as condições para participasse da revisão de seu cadastro eleitoral com a coleta de dados biométricos ao longo de amplo período, respeitando todos os princípios implícitos e explícitos da administração pública e o orçamento destinado para esta seríssima e importante tarefa. E contamos, principalmente, reitero, com o empenho e apoio significativo de todos os envolvidos e  com a louvável colaboração dos meios de comunicação.

Foto: Reprodução. Siga o insta @sitealoalobahia