Entrevistas


03 Set 2019

“Bruno Reis vem se colocando como candidato natural”, diz Alan Sanches

Luan Santos

“Bruno Reis vem se colocando como candidato natural”, diz Alan Sanches A entrevista foi publicada na edição de agosto do jornal “ Alô Alô Horto”
 
Vice-líder da oposição na Assembleia Legislativa, o deputado estadual Alan Sanches (DEM) é morador do Horto Florestal e não esconde o gosto pelo bairro. Médico especialista em ortopedia, Sanches já foi vereador de Salvador e está agora em seu terceiro mandato de deputado estadual, tendo a saúde como uma de suas principais bandeiras. Nesta entrevista ao Alô Alô, Alan fala sobre como é morar no Horto, destaca o crescimento do bairro, aborda sua posição enquanto deputado de oposição ao governador Rui Costa (PT) e faz uma análise da política estadual, enfatizando que Bruno Reis (DEM) é o candidato natural do grupo para suceder o prefeito ACM Neto (DEM) nas eleições do próximo ano.
 
Alô Alô Horto: Como é morar no Horto Florestal? 
 
Alan Sanches: Morar no Horto é extremamente tranquilo. Já tivemos problemas com a insegurança, mas depois que todos os condomínios se juntaram numa associação para inserir uma segurança privada no bairro, somada à patrulha normal da polícia, temos uma sensação de segurança muito maior. Geograficamente, o Horto é muito bem localizado, com possibilidades de entrar e sair por várias vias, através de avenidas como a Vasco da Gama, Lucaia, Brotas. Isso é muito importante.
 
AAH: Como o senhor vê esse crescimento do Horto nos últimos anos, sempre com novos empreendimentos? Atribui isso ao novo momento da cidade?
 
AS: Por ser um bairro nobre, já se cria expectativa na própria sociedade. A prefeitura criou um ambiente favorável para essas construções em bairros como o Horto. É um bairro extremamente residencial e bem frequentado, e por isso acredito que tenha valorização dos imóveis e pessoas desejando, procurando e buscando residir no Horto.
 
AAH: O senhor tem adotado um tom mais crítico na oposição ao governador Rui Costa. Qual a principal crítica à gestão dele?
 
AS: Eu acho que a principal crítica é que o governo Rui Costa é limitado. É um governo que falta criatividade, já que a Bahia poderia estar melhor localizada no cenário nacional. Temos um problema crônico na saúde, a chamada regulação, que continua que continua sendo chamada de regulação da morte. O paciente já acha que dali não vai escapar. A segurança também é um fator que nos preocupa. Precisamos criar novas estratégias para proporcionar mais segurança para o povo da Bahia. Na educação, tivemos um dos piores Idebs do país e isso se deve à falta de investimento e planejamento. É um governo que tem que nota C na capacidade de pagamento, não consegue realizar empréstimo com o aval da União.
 
AAH: O que esperar das eleições do próximo ano? Vê Bruno Reis como favorito?
 
AS: Acredito que Bruno vem se colocando como candidato natural. Se Neto tivesse sido candidato ao governo, Bruno já teria assumido. Ele vem fazendo um bom trabalho, que naturalmente já o credencia. Primeiro por ocupar a cadeira de vice e segundo porque o trabalho que vem desempenhando - já foi secretário de Ação Social e hoje é de Infraestrutura. É um homem político extremamente articulado e trabalhador, conhece muito o perfil do nosso grupo. O que precisamos é uma continuação do trabalho de avanço da nossa capital. Bruno está capacitado para ser esse homem. Vejo como candidato potencial favorito, mas como a eleição só se ganha no dia, ele vem construindo as condições favoráveis para ter êxito e ser o prefeito da cidade em 2020.
 
AAH: O prefeito ACM Neto já disse que vai rodar o interior nas eleições em 2020. Acredita que esse protagonismo de Neto pode ajudar a eleger candidatos de oposição a Rui?
 
AS: A partir do momento que tivermos um candidato forte, como ACM Neto, em 2022, haverá o crescimento da oposição. Podemos não ser oposição e nos tornarmos situação, caso Neto se já eleito, e essa é a expectativa de todos os baianos. Depois de 16 anos de governo do PT, por melhor que avaliem, o partido entra em fadiga e a população vai querer algo a mais. O PT deu sua contribuição e agora tem que pegar seu chapéu e fazer oposição a nós. Quem poderá dar uma contribuição muito maior, com muito mais criatividade, força de vontade e inovação, é ACM Neto.
 
AAH: Qual o plano político de Alan Sanches? O senhor pretende ir para o Congresso? E disputar uma prefeitura? O senhor tem uma base boa em Santo Antônio de Jesus...
 
AS: Inicialmente, para 2020 temos um projeto de fortalecer nosso candidato a prefeito, que provavelmente será Bruno Reis. Queremos potencializar essa força em Bruno, ajudar nossos candidatos a vereadores e prefeitos pelo interior para chegarmos fortes em 2022. A partir daí, começaremos a realizar uma série de planejamentos que passam por ACM Neto e Bruno Reis. Mesmo assim, é cedo para fazer programação, já que o que queremos é trabalhar mais pela população. É o povo que vai declarar seu desejo, ele é que vai nos colocar onde quer representação, seja na Câmara Federal ou Parlamento estadual.
 
AAH: E quanto ao seu mandato, algum projeto mais encorpado que pretende apresentar?
 
AS: Eu tenho alguns projetos colocados em pauta e em tramitação. Um dos que considero mais importantes faz referência à evolução na programação das cirurgias eletivas. Elas são cirurgias marcadas, programadas, que podem esperar. Mesmo assim, atualmente não existe programação pelo governo, que não organiza onde e quando as cirurgias serão feitas. Nosso projeto é que exista uma lista única desses procedimentos, como ocorre com os transplantes de órgãos.
 
Foto: Alô Alô Bahia. Siga o insta @sitealoalobahia.