Entrevistas


05 Jul 2017

Em Paris, Bruna Marquezine brilha no desfile de Jean Paul Gaultier

Bruna Marquezine tirou uma semana de folga e foi para Paris, onde está acompanhando os desfiles da temporada de inverno 2018 da alta-costura. Na manhã desta quarta-feira (5), a atriz brilhou na fila A de Jean Paul Gaultier, estilista que adora e considera um gênio. As informações são da Vogue.

A artista foi para a cidade a convite da Eudora, marca da qual é embaixadora, e conversou com a Vogue antes de deixar o hotel em que está hospedada rumo ao show de Gaultier. Em entrevista ao veículo, ela falou sobre beleza, moda e os próximos passos de sua carreira. Ela adiantou que, em setembro, começa a se preparar para a próxima novela das 19h, Deus Salve o Rei. Nela, a atriz interpreta uma vilã.

Confira a entrevista abaixo.

Quais são as cores de batom que nunca saem do seu nécessaire?
Sou apaixonada por todas as cores e texturas. Ultimamente estou usando muito a cor pink, nada discreto. (risos) Vi que é uma aposta para as próximas estações.

Você é mais nude ou mais batonzão vermelho?
Eu gosto muito dos dois, depende de qual make quero fazer no dia.

Está curtindo o cabelo mais curto ou sente falta do cabelão?
Eu estou curtindo muito, dá uma leveza e tem sido bem prático. Mas, é uma questão de fase né? Eu amo cabelão também, então depende do momento, da personagem.

Qual a cor de batom que levanta seu espírito em um dia ruim?
Uma cor mais vibrante, tipo o Pink Glam, pode dar um astral ao dia, uma animada.

Você usaria batons de cores inusitadas, como azul? 
A primeira vez que usei batom metálico foi em março deste ano, Lavoisier (maquiador oficial da Eudora) me apresentou um batom metálico roxo –  eu nunca tinha usado – e amei de verdade. Estou sempre aberta a experimentar novidades.

É a primeira vez que você vai a um desfile de alta-costura. O que espera dele?
Eu acredito que moda é um tipo de arte. Adoro moda assim como adoro arte. Estou bem animada para o desfile.

Você acompanha a carreira de Jean Paul Gaultier? O que pensa da moda inusitada que ele faz?
Sim, eu adoro quando a moda é provocativa, foge do óbvio. Jean Paul Gaultier é um gênio.

Você já pode antecipar para a Vogue qual será seu próximo passo profissional?
Em setembro, começa a minha preparação para a próxima novela das 19h, Deus Salve o Rei. Não tenho muitas informações para contar ainda, só sei que será uma vilã. Estou mega feliz e animada!

Já fez alguma loucura por beleza, tipo ficar 15 horas no salão, algo impensável assim?
Todo esse tempo, acho que não! (risos) Eu não sou de passar horas no salão. Fico mais tempo quando é algo relacionado a trabalho, como campanhas, editoriais e caracterização de personagem.

Fotos: Antonio Barros/Divulgação. Siga o insta @sitealoalobahia

25 Jun 2017

Targino Gondim comenta sobre a polêmica entre o forró tradicional e sertanejo

Depois de fazer um show nostálgico e cheio de clássicos em homenagem ao Rei do Baião neste sábado (24), no Pelourinho, Targino Gondim conversou com exclusividade com o Alô Alô Bahia e comentou sobre a polêmica entre o forró tradicional e sertanejo.
 
O assunto voltou a ser discutido recentemente, após a cantora Elba Ramalho afirmar que junho deveria ser reservado para a festa tradicional, com o forró. Ela defendeu que é uma “questão de identidade e de verdade”.
 
Na entrevista, o forrozeiro confessou que é "time Elba". "Ela tem razão, porque nessa época existe o aumento da tradição do São João, que é tradicionalmente nordestina, onde tem toda a coisa do forró, do baião, do xote, do xaxado. Tem alguns lugares, porém, que estão mudando esse conceito e eu fico realmente com pena", afirmou. 
 
Para ele, os órgãos e empresas deveriam pensar melhor nas suas grades para abarcar os forrozeiros e sanfoneiros tradicionais. "Eles têm o ano inteiro para contratar os outros artistas, que não fazem parte desse movimento. Esse é o momento de festejar esses grandes hinos, que traduzem a nossa história e a cultura. É algo que já vem de muitos anos: as nossas fogueiras, o forró, o baião, o xote, o xaxado", defendeu.
 
Gondim pontuou ainda que considera importante reverenciar grandes mestres, como Luiz Gonzaga e Jackson do Pandeiro. "Eles mostraram a nossa cultura para o Brasil e para o mundo. Foram grandes mestres e que deram uma cara a essa festa. As pessoas estão querendo mudar a festa agora, colocando outras coisas, e eu acho que não deveriam fazer isso. Elba tem muita razão de pontuar tudo isso, porque é uma coisa que a gente está perdendo. Um pouco da cultura, que tem que ser preservada e passada para outros lugares. A nossa riqueza é grandíssima", finalizou.
 
 
Foto: Rosilda Cruz. Siga o insta @sitealoalobahia.

25 Jun 2017

Alô Alô Bahia entrevista Del Feliz

"Cantar aqui no Pelourinho é mágico e já faz parte do meu São João. Virou tradição. Eu fico esperando a hora de cantar aqui, no São João da Bahia, especialmente no Terreiro de Jesus", revelou ele, em entrevista exclusiva ao Alô Alô Bahia.
 
Ele participa da festa há muitos anos e diz que todo um contexto corrobora para que a festa seja especial. "A arquitetura, o colorido, a relação com a cultura... O Pelourinho é um lugar mágico, em que os soteropolitanos e turistas adoram vir nesta época. Me honra muito estar aqui, representando tudo isso. Estou muito contente de poder, mais uma vez, celebrar a nossa cultura", afirmou. 
 
Natural do povoado de Barreiros, em Riachão do Jacuípe, o forrozeiro participou do The Voice Brasil em 2015 e tem 16 CDs gravados de forma independente. Del Feliz já tocou em países como França, Estados Unidos, Inglaterra, Portugal dentre outros.
 
Por Naiana Ribeiro. Foto: Divulgação. Siga o insta @sitealoalobahia. 

24 Mai 2017

Andrea Velame conta um pouco sobre o Conceito Wedding 2017

Em Junho, o Hotel Sheraton da Bahia receberá, nos dias  08, 09 e 10, o Conceito Wedding, que promete ser um sucesso. Nesta quarta-feira (24), o Alô Alô Bahia aproveitou para bater um papo com Andrea Velame, idealizadora do projeto. Sempre simpática, Andrea nos contou um pouco sobre a edição deste ano do evento, além de falar sobre as novas tendências e sua motivação ao criar o Conceito Wedding. Confira o bate papo:

O que te motivou a criar o Conceito Wedding? Qual era e ainda é a sua intenção?

A.V: Visitei alguns eventos especializados em casamentos por conta da proximidade do casamento de Nathalia e achei todos muito iguais, sem me despertar emoções. Então, resolvi criar o Conceito Wedding, desconstruindo a ideia de feira e propondo um novo conceito. A ideia é realizar um encontro no formato de uma grande festa, onde Lounges serão montados para cada fornecedor. Desta forma eu crio um evento gostoso de se frequentar e sem os "stands", que para mim é o grande equívoco dos eventos existentes.

O evento está em sua 3ª edição e promete ser um sucesso. O que podemos esperar de diferente este ano?

A.V: Muitas coisas! O Conceito Wedding cresceu e amadureceu e nesta edição teremos várias surpresas para as noivas. Resolvemos criar uma Capela, para que as noivas pudessem enxergar não só a festa, mas também a própria cerimônia, nos Salões do Sheraton. Além dos grandes fornecedores já consagrados no mercado, vamos inovar apresentando mesas para um jantar a dois, um pedido de casamento e um belíssimo chá de lingerie inspirado em Coco Chanel, além de um chá de cozinha, para que as noivas enxerguem as diversas possibilidades e espaços diferenciados, como nunca aconteceu ano passado. Nesta edição teremos também um evento paralelo ao Conceito Wedding, o Conceito Quartos, que é uma mostra que reúne grandes nomes do mercado de decoração da Bahia.
 
Essa 3ª edição do Conceito Wedding promete muita inovação. Quais os novos nomes encontraremos entre os expositores esse ano?

A.V: Um segmento que entra forte nesta edição é o de lista de presentes, que apresentaremos de diversas formas. Uma loja de decoração entra oferecendo móveis como lista de presentes - a Casa Kaiada, uma galeria de arte, da consultora Rita Camara, entra induzindo aos noivos também inserirem nas suas listas arte como presentes. Teremos o Espaço Camicado, oferecendo todos os itens da lista de casamento; terá a Emporio Magma, oferecendo objetos de decoração super especiais na lista e por fim a Cristofle, representada com exclusividade na Bahia pela Formma Presentes, apresentando a melhor coleção de pratas do mundo!

Teremos Carlos Rodeiro estreando no evento com suas joias deslumbrantes e trazendo uma coleção de tiaras e pentes para noivas. Além disso, teremos o trabalho de três empresas de decoração: Oiti Design, Tudo são Flores e Dulce Melo e Geo Rocha, apresentando propostas diferenciadas para o mercado, sem contar com a dupla super top Sonja Lopes e Nubia Caloula. Teremos também a participação de empresas de aluguel de móveis e objetos de decoração pela primeira vez no evento: Monte, Objeto Único e Sonia Steele.

Andrea, a gente percebe que o conceito de casamento mudou bastante ao longo dos anos... O que você nota de diferente nos casamentos de hoje em dia?

A.V: Os casamentos a cada dia se fortalecem pela necessidade de se reunir verdadeiros amigos. Em outros tempos se fazia festas para 1000 convidados. Hoje os noivos buscam os mini weddings pela importância de dividir aquela energia apenas com os mais íntimos.

Sobre tendências, o que está 'em alta'?

A.V: Uma grande tendência no mundo dos casamentos são as celebrações ao luz do dia, o que proporciona fotos incríveis! A partir daí, vários estilos foram sendo descobertos para os casamentos na praia: os pés na areia, os bohos, os garden e por aí vai. O que eu acho bacana é as pessoas perceberem que neste momento único o que vale é realizar sonhos. E uma outra tendência que vem com força total é a renovação de votos, ou seja, a indústria do casamento só cresce. E viva o amor!
 

Foto: Divulgação. Siga o insta @sitealoalobahia.  

30 Mar 2017

Alô Alô Bahia entrevista o chef Fabricio Lemos, do restaurante Origem

Esta semana, Alô Alô Bahia viajou para o mundo da gastronomia e convidou Fabricio Lemos para um rápido bate-papo. Fabricio é considerado – com razão – um dos melhores chefs da Bahia e está comandando o restaurante Origem, na Alameda das Algarobas, onde estimula  a cozinha inventiva e sofisticada. Abaixo, confere nossa conversa! 


Fabricio Lemos e Lisiane Arouca. 

Alô Alô Bahia - Onde você aprendeu a cozinhar?

Fabricio Lemos - A vida se encarregou de mostrar o caminho. O primeiro contato com a cozinha foi ainda pequeno ajudando a minha mãe e minha avó na preparação de festas e almoços. Meu papel era pegar os vegetais na geladeira. Sempre fui curioso e perguntava bastante para minha mãe como ela fazia  a comida. Quando completei 18 anos, fui morar nos EUA e tive que me  virar para sobreviver. Meu primeiro trabalho por lá foi lavando prato.  Depois de anos tive a oportunidade de aprender a cozinhar profissionalmente em virtude do desligamento de um cozinheiro. Após 3 anos cozinhando profissionalmente, fui buscar algo mais concreto e foi aí que apareceu o Le Cordon Bleu - me formei e vi que na carreira de cozinheiro o aprendizado é diário. Logo, eu ainda estou aprendendo.

Alô Alô Bahia - Você tem viajado muito por conta de suas pesquisas. Qual uma experiência mais marcante?

Fabricio Lemos - Viajar é necessário para a formação de um bom cozinheiro. Quantos mais ingredientes e técnicas você conhecer, mais motivante torna-se a carreira. A experiência mais marcante foi no Peru. Conheci o IK Restaurante, localizado em Lima. Me marcou pois o Chef faleceu antes  de abrir o restaurante. Estavam ainda em período de finalização da construção do restaurante, quando o chef Ivan sofreu um acidente automobilístico e veio a falecer.  A família deu continuidade ao projeto e inaugurou o restaurante. Quando soube da historia eu estava jantando no restaurante e fiquei chocado, pois o  chef antes falecer deixou todas as fichas técnicas e receitas prontas. Isso me marcou e emocionou. Pois além da comida ter sido executada perfeitamente, o grande legado de um grande chef é fazer com que seu restaurante funcione sem sua presença.
 
Esse chef utilizou todas as ferramentas necessárias para abrir um restaurante de sucesso que infelizmente não vemos na maioria dos restantes que conhecemos em nossa cidade. Ou seja, antes abrir ele projetou, criou e treinou sua equipe.


Fabricio Lemos e equipe do restaurante Origem.

Alô Alô Bahia - Quais seus pratos preferidos no Origem ?

Fabricio Lemos - Gosto de todos (rs).Mas tem um que me emociono quando como,  pois  lembro da época que eu vendia arroz na Feira da Cidade e Boa Praça  (onde tudo começou). É o Arroz Nordestino que leva Carne de Panela,  purê de aipim, arroz enriquecido com chouriço, banana da terra,  farofa de tapioca e crispy de batata. Hummmmm!

Alô Alô Bahia - Depois do Origem, qual seu próximo desafio? Algum sonho ainda por realizar?

Fabricio Lemos - O Origem ainda é um bebê que merece ainda cuidado e atenção.  Mas tenho um sonho de montar um restaurante que funcione somente no almoço. O conceito seria uma comida muito confortável, que  alegrasse alma e acalmasse o coração.


Alö Alö Bahia - Em Salvador, quais são seus restaurantes prediletos?

Fabricio Lemos- Dijalma Drinks (Localizado na Rua Minas Gerais) - adoro a Salada de Siri e o Abará da Dadá,  Bode do Nei ( Localizado na Pituba),Bravo (The best burger ever), Al Mare (Adoro um camarão que fazem no happy hour), Amado (experiência completa de um Menu excelente com uma linda paisagem),Paraiso tropical (conjunto obra e criador) e Pedra Puã (simplesmente cheio de personalidade). 


Fotos: Reprodução. Siga o insta @sitealoalobahia.