Dicas


17 Jul 2014

I-Lipo: Elimine as gorduras localizadas sem precisar de cortes

I-Lipo: Elimine as gorduras localizadas sem precisar de cortes Se existe algo que incomoda homens e mulheres são as gorduras localizadas. Elas surgem em diferentes regiões do corpo como bumbum, coxa ou culote, no abdômen e nas costas. Para eliminar os pneuzinhos, muitos investem na prática de atividades físicas associadas a bons hábitos alimentares diariamente.

Porém, mesmo com toda a disciplina e dedicação, nem sempre é possível acabar totalmente com as gordurinhas de determinadas regiões do corpo apenas com essas medidas. É nessa hora que muitos contam com os benefícios de alguns tratamentos para enxugar as medidas.

Uma novidade que surgiu no mercado e que se tornou uma verdadeira arma contra a gordura localizada é o I-Lipo. “Esse tratamento utiliza um laser de baixa frequência com a finalidade de reduzir a celulite, diminuir a gordura e ainda remodelar o corpo”, explica o médico dermatologista Dr. Amilton Macedo (CRM/SP – 80686), com prática em oxidologia.
 
Esse aparelho de laser tem efeito similar ao da lipoaspiração, porém, sem agulhas, cortes ou injeções de substâncias. “Esse tratamento inovador não é invasivo e também não necessita de anestesia. Isso porque ele utiliza a fotobiomodulação para estimular o corpo a liberar naturalmente o conteúdo armazenado nas células de gordura”, descreve o oxidologista.

Diante disso, penetram na pele 32 lasers que, depois, são absorvidos pelas células de gordura. “Ele age emitindo um sinal químico nas células de gordura com a finalidade de quebrar os triglicerídeos guardados em ácido graxo e glicerol para que estes sejam, posteriormente, saírem através dos gânglios. Dessa forma, essas moléculas passam para os tecidos são queimados durante a prática de atividades físicas após as aplicações”, esclarece Amilton.

O i-Lipo pode ser empregado em regiões como: cintura, abdômen, quadris e até mesmo nos braços. Ao término do procedimento é indicado a realização de drenagem linfática associada com a endermologia e infravermelho para estimular a produção de colágeno pelo organismo. Deve ser realizado o mínimo de oito sessões, duas vezes por semana. “Após as sessões você pode retomar suas tarefas normalmente, pois ele não é invasivo”, conclui Macedo.
 

Foto: Reprodução.