Com Que Roupa


13 Mai 2018

DFB 2018: Um olhar moderno para o artesanal

DFB 2018: Um olhar moderno para o artesanal Reconhecido mundialmente por exportar um trabalho artesanal de qualidade, tanto para o vestuário como para decoração, o Nordeste vem conquistando um espaço cada vez maior de projeção em novos mercados, em virtude do nível de qualidade conquistada com muita expertise em trabalhos manuais. Durante a 19ª edição do Dragão Fashion Brasil, três marcas se destacaram pela criação de uma moda autoral - característica mais marcante do evento - enriquecidos por um tom contemporâneo, sem perder a essência de cada uma, gerando desejo imediato no público presente. Alô Alô Bahia mapeou algumas apostas. Confere só!
 
 
RENDÁ
 
Dirigida pela empresária Camila Arraes, a Rendá é a combinação do clássico da renascença e da renda belga, traduzida em peças sofisticadas que resgatam a força e feminilidade da mulher brasileira, através da tradição das rendeiras - um equilíbrio perfeito entre luxo e simplicidade.
 
ALMERINDA MARIA

Uma das principais caraterísticas do trabalho da Almerinda Maria é a forte presença de tecidos do Ceará mesclado à modernidade dos tecidos contemporâneos, fazendo as raízes nordestinas estarem cada vez mais atuais. Seu estilo único foi traduzido em peças clássicas - como imponentes vestidos de festa - e peças mais casuais como chemises e calças pantacourts. 
 
 
HAND LACES
 
O grande diferencial do trabalho da Hand Laces, são as tramas de tecido que resultam em peças exclusivas. O resultado e um beachwear sofisticado e pouco óbvio, que é a cara de mulheres que vivem próximo ao mar e não dispensam elegância também nos momentos casuais. 
 
*Alô Alô Bahia esteve em fortaleza a convite do Dragão Fashion Brasil, que aconteceu entre os dias 09 e 12 de maio.
 
 
Fotos: Reprodução. Siga o insta @sitealoalobahia.